Damares diz que a mídia tenta lhe taxar de "maluca" e lamenta: "Não tem sido fácil"

Damares Alves lamenta o tratamento da imprensa
Ministra Damares Alves lamenta a forma como tem sido tratada pela mídia. Reprodução: Google

A ministra Damares Alves, responsável pela pasta de Direitos Humanos do governo Bolsonaro, lamentou a forma como tem sido tratada por parte da grande mídia, que segundo ela tenta lhe taxar de "louca" ou "maluca", alertando para a gravidade dessa situação em seu ministério.

Damares comentou a situação com o deputado Emanuel Pinheiro Neto (PTB-MT) durante à audiência pública da Comissão de Defesa dos Direitos das Mulheres na Câmara dos Deputados, na última terça-feira (16).

“Não foi fácil, deputado. Não foi nada fácil. Não tem sido fácil. Os autores e agentes dessa ridicularização vêm de todos os segmentos, inclusive do Parlamento", disse a ministra, referindo-se especialmente ao deboche que sofreu por conta do seu testemunho sobre ter visto Jesus no pé de goiabeira.

"Inclusive parlamentares que me conheceram no passado, e estavam aqui nos corredores comigo. Não se pouparam em ridicularizar, agredir…”, disse Damares, explicando em seguida que a sua preocupação aumentou quando ela assumiu o ministério, por conta das pessoas envolvidas nele.

“Enquanto estão ridicularizando a mulher, a Damares, a pastora, isso não estava me preocupando. Começou me preocupar quando passaram para o Brasil a ideia de que esse ministério tinha uma ministra maluca, quando isso começou alcançar as atividades do ministério”, continua, segundo o Gospel Mais.

“Eu fiz uma conversa com a imprensa, chamei alguns grandes órgãos de imprensa para falar comigo, pelo seguinte [motivo]: tenho no ministério mais de 800 pessoas protegidas pelo programa de proteção à testemunha. Já pensou esse protegido por mim ouvir lá na base que a ministra é louca, maluca? A instabilidade que a imprensa tava causando naquele protegido?”, questiona.

Damares Alves diz que a mídia tem sido irresponsável ao tratá-la dessa forma, dizendo que a vida de pessoas que dependem da credibilidade do seu ministério corre risco por isso.

"Já pensou a pessoa que está no desespero, quer ligar para o Disque 100, ou para o Ligue 180, fala ‘não vou ligar porque essa ministra é maluca’? Então, a irresponsabilidade da imprensa em querer mostrar para o Brasil – e aqui não vou dizer toda a imprensa – que esta ministra é maluca pode, com certeza, ter colocado vidas em risco”, conclui.

Assista abaixo:



COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.