Comunismo: China ordena a instalação de câmeras em todos os imóveis alugados

Instalação de câmeras de vigilância da China é tentativa de controle populacional
Partido Comunista Chinês quer controlar a estadia de estrangeiros no país. Reprodução: Google

Imagine a procura de um apartamento para alugar e você não ter escolha, a não ser alugar uma casa com câmeras instaladas em sua sala de estar. Esta não é uma cena de um filme futurista, mas a realidade vivenciada pelos chineses.

O requisito para que os proprietários de imóveis de aluguel instalem câmeras de vigilância em suas propriedades é adicionado à lista de sistemas de vigilância de última geração, como o Skynet, Sharp Eyes e muitos outros, lançadas pelo governo chinês para garantir o controle total de sua população.


De acordo com testemunhos recolhidos pela organização Bitter Winter durante o inverno, com os moradores da cidade de Hangzhou, capital da província oriental de Zhejiang, desde novembro passado, alguns proprietários recebem um aviso da polícia forçando-os a instalar câmeras de vigilância em seus imóveis sob o pretexto de "segurança contra roubo".

Um residente da cidade de Hangzhou disse a Bitter Winter que, quando procurava por uma moradia alugada, descobriu que policiais haviam distribuído avisos para certas comunidades residenciais dizendo que só poderiam se legalizar caso cumprissem a ordem de "segurança".

"Os senhores só podem registrar estas propriedades de aluguel depois de equipadas com uma câmera de vigilância. Cada sala de estar deve ter uma câmera de vigilância colocada em frente à entrada principal da propriedade", diz o comunicado.


Eu visitei algumas famílias em uma comunidade para investigar essa situação. De acordo com o depoimento de um residente, câmeras de vigilância já foram instaladas no apartamento que ele aluga.

A pessoa informou que a polícia tinha exigido que nenhum edifício alugado poderia ficar sem câmeras de vigilância, e foi avisado de que a polícia faria rondas de inspeção sem aviso prévio. Uma vez que encontrassem um edifício sem câmeras de vigilância, o proprietário deveria pagar uma multa de 500 RMB (cerca de € 66).

"Desde o dia em que as câmeras foram instaladas, tenho que me vestir decentemente, mesmo quando fico em casa. Também é estranho quando minha esposa e eu queremos ter uma conversa particular. Quando voltamos para casa, permanecemos permanentemente monitorados como se estivéssemos na prisão . Isto não é uma prevenção contra roubo, mas sim uma vigilância rígida!", lamentou o morador.


Outro inquilino foi confrontado com a mesma situação. Irritado, ela apontou que lhe causou muito estresse ter câmeras instaladas na casa. Além disso, essa é a segunda vez que ele está nesta situação: há cinco meses, enquanto morava em outra comunidade, a polícia exigiu que câmeras de vigilância fossem instaladas na propriedade alugada. Ele se mudou, mas terminou revivendo tudo em seu novo endereço.

O número de câmeras de vigilância nos elevadores também aumentou. Todos os inquilinos são obrigados a apresentar sua carteira de identidade, tirar fotos e armazenar seus dados de identificação no Escritório de Administração de Imóveis.

Antes de colocar o prédio inteiro em aluguel, o locador é obrigado a garantir que câmeras de vigilância sejam instaladas lá. De acordo com os agentes de segurança da comunidade, todas essas instruções vêm do governo, como parte do projeto chamado "Construindo Comunidades Inteligentes", implementado sob o pretexto de "manter a estabilidade social".


De acordo com um agente de segurança em outra comunidade na cidade de Hangzhou, com mais de mil casas de aluguel, um terço dessas casas já estão cobertas por câmeras de vigilância.

Moradores de Fujian, na província vizinha de Zhejiang, também informaram que policiais instalaram à força dispositivos de vigilância nas fechaduras de algumas propriedades alugadas. De acordo com os oficiais responsáveis ​​pela instalação desses dispositivos de vigilância, eles permitem que as autoridades monitorem todos os que entram e saem do imóvel alugado.

"Se você se recusar a instalar esses dispositivos, a delegacia de polícia causará muitos problemas", disse o locador.

Às populações turísticas na China sempre foram alvo de medidas de vigilância porque são incontroláveis. Os proprietários que abrigam esses estrangeiros estão, portanto, sujeitos a uma inspeção mais escrupulosa por parte das autoridades.

Como exemplo, em maio de 2018, as autoridades de um subdistrito da cidade de Tianshui, na província de Gansu, lançaram uma "campanha especial contra o crime organizado e a erradicação do mal", destacando que precisariam realizar um levantamento abrangente de estrangeiros e "famílias especiais", isto é, aqueles com crenças religiosas, que vivem em propriedades alugadas, e outros. Os moradores foram solicitados a denunciar qualquer locatário "suspeito", caso contrário, enfrentariam sanções.

Por: Lin Yijiang

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.