Maliciosa, imprensa tenta atribuir a Moro intenção de candidatura contra o governo


Como já explicado em outra matéria recente, a grande mídia está focada em querer minar a estabilidade do governo Bolsonaro "por dentro", e para isso não poupa esforços, nem faz questão de esconder suas malícias.

Dessa vez, o alvo de uma possível polêmica fabricada com a intenção de criar tabloide contra o governo Bolsonaro foi o juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, retratado em várias manchetes de grandes mídias em circulação como um provável candidato à Presidência da República.



Observe abaixo o primeiro parágrafo da matéria publicada pela BandNews em parceria com o UOL, com destaque nosso:

"O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, concedeu uma entrevista exclusiva à BandNews FM nesta terça-feira, 26, para falar sobre diversos assuntos, entre eles, sua possível candidatura à Presidência da República em 2022.".

Na parte em negrito, o que a emissora faz é uma afirmação. Uma conclusão taxativa sobre algo que, na prática, foi inventado. "Sua possível candidatura...", diz o texto, induzindo o leitor a acreditar que tal possibilidade existe, quando, na verdade, o próprio juiz Sérgio Moro negou taxativamente, como segue:



"Acho que essa não é uma pergunta apropriada", disse o juiz, concluindo em seguida: "Não tenho nenhuma pretensão nesse sentido".

Mais cristalino impossível. Às palavras são do entrevistado, assim como a conclusão, que é taxativamente negativa. No entanto, o jornal insiste em colocar na sua manchete e no texto a tal "possibilidade", atribuindo ao juiz uma intencionalidade que ele próprio negou existir.

E como se não bastasse, ainda no texto da BandNews, o escritor da matéria ironizou a declaração de Moro, como se o juiz estivesse sendo falso em suas intenções, agredindo, mais uma vez, a ética jornalística, ao demonstrar claramente que o objetivo velado da matéria foi atribuir intenções ao juiz.



Observe:

"Nós temos que pensar nas reformas que são importantes para o país", afirmou Moro. "O trabalho agora é de união para o bem da sociedade', despistou".

O "despistou" foi o termo utilizado pela BandNews em sua reportagem para concluir a fala de Sérgio Moro.

E se Moro quiser se candidatar?


A crítica aqui não diz respeito à possibilidade de Sérgio Moro se candidatar à Presidência da República um dia, mas sim ao maucaratismo da imprensa brasileira em querer atribuir a ele uma intenção que declaradamente não existe.



Em especial, a crítica diz respeito à intenção de fabricar polêmicas e com isso causar instabilidade em um governo que, pasmem, possui menos de - três meses - de existência.

Assim, qual é a lógica e conveniência em se falar de candidatura presidencial a essa altura? Está claro que tamanha exploração midiática de temas especulativos visam dividir o eleitor, passar a impressão de insegurança e causar o caos.

Esse é o nível de "jornalismo" que existe hoje no Brasil, sem qualquer credibilidade.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.