Guedes vai à Câmara defender reforma da Previdência e garante que Maia "é a favor"


O ministro da Economia, Paulo Guedes, estará presente nesta terça-feira (26) na primeira reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, que tem como objetivo discutir o texto apresentado pelo governo visando implementar a reforma da Previdência.

Após uma semana tensa em decorrência das críticas feitas pelo presidente da casa, Rodrigo Maia, ao governo de Jair Bolsonaro e também ao ministro Sérgio Moro, Guedes deve se apresentar como um articulador e apaziguador, destacando a necessidade da reforma como um projeto apartidário.



Seguindo esse tom, o ministro da Economia ressaltou o compromisso de Rodrigo Maia com a reforma da Previdência desde 2016, lhe conferindo certo protagonismo junto aos interesses do governo. É provável, no entanto, que o discurso de Guedes vise mais acalmar os ânimos do presidente da casa e reforçar seu apoio ao Planalto com alguns elogios.



“Desde o início, ele [Rodrigo Maia] apoia a reforma da Previdência. Quando ele foi eleito pela primeira vez [presidente da Câmara], em 2016, falou da importância da aprovação da reforma no primeiro discurso. Ele é a favor”, disse Guedes, segundo a Agência Brasil.

De qualquer forma, a presença de Paulo Guedes na Câmara serve como reposta do governo às críticas de que Bolsonaro não teria capacidade de articulação junto aos parlamentares, o que é bom, considerando que, de fato, a peça motriz da economia brasileira na atualidade é o ministro.



Desde o período das eleições, Bolsonaro deixou claro que Paulo Guedes teria plena confiança para falar em nome do Planalto no tocante à economia. Assim, não é surpresa que neste momento de tensão o ministro assuma a responsabilidade de procurar viabilizar o que será, sem dúvida alguma, o maior feito da sua carreira profissional.


COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.