Bolsonaro diz que universidades são "massacradas pela esquerda" e promete reação


Em meio às recentes polêmicas envolvendo o Ministério da Educação, que incluem uma aparente disputa entre um grupo ligado a Olavo de Carvalho, militares e técnicos em cargos comissionados, o presidente Jair Bolsonaro usou o Twitter para dizer que o ambiente acadêmico está sendo "massacrado" pela ideologia de esquerda, que "tripudia o capitalismo".

Segundo o presidente, uma das prioridades do governo "é quebrar o ciclo da massa hipnotizada".


De acordo com Bolsonaro, "o ambiente acadêmico com o passar do tempo vem sendo massacrado pela ideologia de esquerda que divide para conquistar e enaltece o socialismo e tripudia o capitalismo. Neste contexto a formação dos cidadãos é esquecida e prioriza-se a conquista dos militantes políticos".

Por isso, de acordo com o presidente, uma das prioridades do governo "é quebrar o ciclo da massa hipnotizada comendo migalhas enquanto seus líderes nadam em milhões da corrupção do erário".


"Infelizmente, é um trabalho duro e demorado, pois ao longo de anos o aparelhamento do estado foi estrategicamente gigantesco", continuou.

Bolsonaro, no entanto, afirmou que o trabalho já começou. "Não se refaz da noite para o dia algo tão grande, mas um ponto de partida já existe e estamos fazendo nossa difícil parte. Desejamos que outras gerações se organizem e levem adiante esta sementinha que foi plantada por muitos", escreveu.


Por fim, o presidente disse que o objetivo é que "impeçamos para sempre que o mal que esteve tão perto de destruir nosso país volte com força". "Defeitos, todos temos, mas a maldade formada para destruir é nata e organizada apenas por um lado. Vamos trabalhar juntos para resgatar nosso amado Brasil!", concluiu.

Comentário:

O presidente está correto ao destacar o aparelhamento ideológico das universidades do pais. Na verdade, se trata de todo ensino escolar. Qualquer estudante, desde o ensino médio até o superior, pode confirmar isso facilmente.



Além dos estudantes, professores que pensam fora da caixa esquerdista também são testemunhas disso, como o professor da Universidade Federal de Pernambuco, Rodrigo Jugmann, testemunhou no ano passado, ao ser hostilizado por "estudantes". Veja o vídeo aqui.

Outro eminente professor, Luiz Felipe Pondé, também concorda com Jair Bolsonaro, ao confirmar o domínio (não por via do conhecimento, mas sim da militância ideológica) da esquerda nas universidades. Para ver uma entrevista onde ele apresenta seus argumentos, clique aqui.



Estes são ínfimos exemplos diante da ampla realidade. De fato, é preciso uma "lavagem" no sistema público brasileiro, não para extirpar o contraditório, evidentemente, mas para retomar o equilíbrio das partes, recolocando o pensamento científico (e não ideológico) no centro dos debates acadêmicos, especialmente na área de humanas.

Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.