Camelô e com deficiência, mulher que agiu em acidente ganha tratamento médico


A história de Leiliane Rafael da Silva ganhou repercussão nacional após uma foto onde ela aparece tentando salvar a vida do motorista do caminhão que se chocou com o helicóptero onde estava o jornalista Ricardo Boechat, da rede Bandeirantes.

A imagem chamou atenção porque enquanto Leiliane tentava salvar a vida do motorista, outros espectadores se preocuparam mais em registrar o momento com seus celulares, sugerindo uma indiferença absurda diante do sofrimento do próximo.


Leiliane é portadora de MAV – malformação arteriovenosa caracterizada pela alteração na formação dos vasos sanguíneos no cérebro, uma condição que sem o devido tratamento pode lhe conduzir à morte, segundo informações da ISTO É.

Entretanto, após a repercussão do caso, o professor e doutor Feres Chaddad Neto, professor de neurociência da Unifiesp, decidiu realizar a cirurgia necessária para o tratamento da jovem.

“O medo dos médicos é de os vasos se romperem e causarem a minha morte. É mais perigoso que um tumor cerebral. Tenho uma bomba relógio na cabeça", disse Leiliane, revelando um senso de humildade que é uma verdadeira lição para muitos.


“Sou nada. Sou para minhas filhas. Isso eu sou. Não aprendi a voar ainda, mas eu voo diariamente, corro para buscar elas na escola, dar comida, dar de mamar para a menor, ajudar na lição de casa, tenho que preparar um futuro para elas, ninguém sabe o dia de amanhã", declarou Leiliane.

Sua história serviu de inspiração para milhões de pessoas em uma época onde o embate ideológico se tornou tão marcante, mas iniciativas que fazem diferença para o próximo são tão escassas.

Assista abaixo o vídeo onde Leiliane aparece agindo poucos segundos após o acidente:





COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.