Jean Wyllys chama autoridades do Brasil de "burras" e revela desequilíbrio emocional


Discursando em Portugal, onde esteve na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC) semana passada, o ex-deputado Jean Wyllys não perdeu a oportunidade para disparar insultos contra o governo brasileiro, incluindo em sua cusparada verbal as autoridades civis.



"As autoridades civis são tão medíocres, desqualificadas, desonestas intelectuais, burras, que, cada vez que uma delas cai [do governo Bolsonaro], é substituída por um militar", disse o ex-BBB, insinuando em seguida que há uma articulação para a implantação de um novo regime militar em andamento.

"Então, os militares estão constituindo um Governo sem ter que colocar as armas na rua. Isso é preocupante. Isso é muito preocupante", disse ele.

O ex-psolista e ativista LGBT, também comentou a fama do vice-presidente, General Hamilton Mourão, por fazer declarações mais agradáveis aos ouvidos da esquerda brasileira, fazendo uma comparação entre ele e Bolsonaro.



"Quando as pessoas passam a tratar o general Mourão como moderado diante da estupidez e loucura do Presidente, temos um problema. Mas a verdade é que, de facto, comparado com o Presidente desqualificado, Mourão é um moderado", destacou Wyllys.

O perfil de um desequilibrado


Os insultos verbais de Jean Wyllys contra o governo brasileiro e toda sua administração é de chamar atenção. Não se trata meramente de críticas políticas, embasadas em motivos técnicos, por exemplo, nas áreas de economia, direitos humanos e educação, mas sim de agressões morais dirigidas ao país.

Ao comparar o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, com Bolsonaro, Wyllys claramente insulta a figura do chefe de Estado brasileiro, depreciando sua imagem:



"O Presidente de Portugal está longe, muito longe, de ser irmão de Bolsonaro, como ele disse. Está longe de ser o desqualificado que o Bolsonaro é, de ser o racista que Bolsonaro é, o machista, misógino e ignorante que Bolsonaro é. Então, dizer que o encontro entre eles foi um encontro entre irmãos é algo que depõe contra ele", disse o ex-deputado, segundo a SIC Notícias.

As ofensas de Jean Wyllys é contra o país, sim, porque o presidente da República é a figura máxima que representa o Brasil no exterior. Não são críticas impessoais contra um tipo de governo, mas direcionadas para autoridades civis e a pessoa do presidente, e de forma caluniosa. 

Na prática, tal postura revela o perfil de alguém emocionalmente desequilibrado, sem bom senso e ética pública, deixando suas mais aterrorizantes frustrações aparentes na forma de insultos desesperados, como quem deseja chamar atenção pelo grito e não por argumentos sensatos.

Com essa versão discursiva de cusparada ideológica, Jean Wyllys consegue atrair apenas seus iguais. No mundo civilizado, no entanto, ele cava a própria cova.


Por: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.