ALERTA: Crianças e adolescentes que usam celular antes de dormir estão sob risco


Um estudo realizado por pesquisadores do Imperial College London, Universidade de Lincoln, Universidade Birkbeck de Londres e o Instituto Suíço de Saúde Pública e Tropical em Basel, Suíça, é o primeiro a analisar o uso pré-sono de dispositivos de mídia com telas iluminadas, como celulares.

Eles descobriram que o uso noturno de telefones, tablets e laptops é consistentemente associado à má qualidade do sono e má qualidade de vida. Também se demonstrou que o sono insuficiente está associado a respostas imunes que ficam fragilizadas em problemas como depressão, ansiedade e obesidade em crianças e adolescentes.


Os dados foram coletados de 6.616 adolescentes com idades entre 11 e 12 anos e mais de 70% relataram o uso de pelo menos um dispositivo de tela em média uma hora antes de dormir. Eles foram solicitados a relatar uma série de fatores, incluindo o uso do dispositivo em salas iluminadas e escuras.

Os resultados mostraram que aqueles que usaram um telefone ou assistiram televisão em uma sala com luz acesa eram 31% mais propensos a dormir menos do que os que não usaram esses dispositivos. A probabilidade aumentou para 147% se a mesma atividade ocorrer no escuro.


Tem sido relatado que, globalmente, 90% dos adolescentes não estão dormindo as 9 ou 11 horas recomendadas por noite, o que coincidiu com um aumento no uso de dispositivos de mídia de tela. Somente no Reino Unido, estima-se que 98% dos jovens entre 12 e 15 anos assistem à televisão e mais de 90% usam celulares em casa.

Duração e qualidade vital do sono


Estudos anteriores mostraram que a duração e a qualidade de sono são vitais na infância para manter o desenvolvimento físico e mental. O sono também é crucial para os processos cognitivos e a falta de dormida está diretamente relacionada ao baixo desempenho acadêmico.

O autor do estudo, Dr. Michael Mireku, pesquisador da Escola de Psicologia da Universidade de Lincoln, disse: “Embora pesquisas anteriores tenham mostrado uma ligação entre o uso da tela e a qualidade e duração do sono dos jovens, o primeiro estudo mostra como a iluminação do ambiente pode influenciar ainda mais isso".



“Nossas descobertas são significativas não apenas para os pais, mas também para professores, profissionais de saúde e adolescentes. Recomendamos que esses grupos estejam cientes dos problemas potenciais que envolvem o uso de aparelhos com tela durante a hora de dormir, incluindo insuficiência do sono e má qualidade de vida”, completou.

Comentário:

A diminuição das horas dormidas é um problema grave em nossa geração, repercutindo durante toda a vida. O número de crianças e adolescentes que entram madrugada a dentro por conta do uso de dispositivos eletrônicos é alarmante, mas infelizmente muitos pais ainda não se deram conta dos problemas que isso acarreta.

O conselho para os pais é limitar o horário de uso dos seus filhos de aparelhos como celulares, computador e TV. É preciso estabelecer regras e criar novos hábitos, para que o padrão de sono seja regularizado aos poucos, até atingir a quantidade de horas mínimas recomendadas, que é de pelo menos oito.

Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.