URGENTE: Psicóloga é cassada por Conselho após falar contra a ideologia de gênero


Recebemos a denúncia de que a psicóloga Patrícia de Souza Teixeira (CRP-12/06777), de Santa Catarina, teve o seu registro profissional cassado esta semana pelo Conselho Regional de Psicologia do estado (12º regiãõ), devido a divulgação de um vídeo em que a profissional aparece falando em defesa da "família tradicional" e contra a "ideologia de gênero".

Se trata do processo disciplinar ético número 401/15, denunciado pela Comissão de Orientação e Fiscalização do CRP-12, que teve como relator o psicólogo Nasser Haidar Barbosa.

De antemão já identificamos uma absurda contradição nos argumentos apresentados pelo CRP-12, em especial o relator do processo, contra a psicóloga. Isso, porque, se tais "argumentos" devem ser suficientes para cassar o registro profissional, o próximo cassado deverá ser o da psicóloga Ana Mercês Bahia Bock.

Para entender o motivo dessa afirmação, leia a denúncia que fizemos meses atrás, com esse título: "Psicóloga Ana Bock convoca para vigília 'Lula Livre' e viola a ética profissional".



O processo contra Patrícia Teixeira vem se arrastando desde 2015, quando um vídeo onde a psicóloga aparece falando contra a ideologia de gênero e em defesa da família tradicional foi divulgado nas redes sociais, na intenção de combater um projeto de lei estadual que pretendia abordar questões de gênero nas escolas públicas.

O vídeo é a peça chave do processo. Ele, segundo o parecer "técnico" que tivemos acesso, é o motivo da cassação da psicóloga. Veja abaixo, retornamos seguida:


A psicóloga Patrícia Teixeira não falou absolutamente nada diferente do que diversos especialistas no - mundo inteiro - também já falam, há anos. Isto é, que a ideologia de gênero é real e uma ameaça para a sociedade, uma vez que ela despreza a realidade biológica da sexualidade humana, e que por consequência contraria o que se entende por "família tradicional".

A família tradicional aqui, certamente, diz respeito a constituição familiar heteronormativa, referindo-se ao quesito biológico. Nesse aspecto, Patrícia Teixeira também está correta, pois diferentemente da homossexualidade, a heterossexualidade é um padrão biológico pré-ordenado e não - apenas - uma construção cultural, como alguns querem fazer pensar. Quem nos assegura disso é a ciência.



Por ora, essa matéria apenas noticia mais esse trágico episódio da psicologia brasileira, onde a perseguição ideológica e partidária se mostra gritante e anticientífica. Em outra ocasião, faremos um texto dissecando e refutando em detalhes o parecer do relator que julgou a necessidade de cassação da psicóloga, mostrando que a sua posição [do relator] é vergonhosa do ponto de vista científico e também constitucional.

Todavia, desde já afirmamos que a posição de Patrícia Teixeira acerca da "família tradicional" e da "ideologia de gênero" possui amplo fundamento científico (além de jurídico) e que por isso ela não violou qualquer código de ética da sua profissão.

Aguardem nossa atualização nos próximos dias.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.