Imagem de oração por Bolsonaro antes do atentado e foto da cirurgia chamam atenção do público


A repercussão do atentado contra a vida do presidenciável Jair Bolsonaro não está só no campo político e judicial, mas também no religioso, especialmente após o ressurgimento de uma cena em que o candidato aparece recebendo uma oração de cura por "problemas no estômago", em abril desse ano.

Jair Bolsonaro esteve no dia 29 de abril, junto com a sua esposa Michelle, no Congresso Gideões Missionários da Última Hora (GMUH), a convite do pastor Reul Bernardino. O GMUH é uma organização cristã evangélica de finalidade missionária e humanitária, que realiza ações sociais e evangelísticas em várias partes do mundo há mais de 30 anos.



Na ocasião, o pastor Adão Santos, que é deficiente visual e estava realizando a pregação no púlpito, disse ter sentido de Deus a orientação para orar por pessoas com problemas no estômago. Bolsonaro então levantou a mão, sinalizando que desejava a oração.

A gravação do vídeo durante o momento mostra que outro pastor e a própria esposa de Bolsonaro, Michelle, oraram por ele (foto acima), colocando suas mãos em seu abdome. A cena ganhou notoriedade agora, após o atentado sofrido pelo capitão no último dia 6, em Juiz de Fora, MG, onde recebeu uma facada no estômago.

Diversos apoiadores do candidato, entre eles a psicóloga cristã e candidata a deputada federal pelo Paraná, Marisa Lobo, acreditam que o gesto foi um sinal de "livramento" de Deus sobre o atentado que ocorreria na semana passada contra Bolsonaro.

"Ontem, eu estava pessoalmente com o Pr Reuel Bernardino, presidente dos Gideões que me confirmou que esse missionário sentiu de Deus de orar pelo abdome do Bolsonaro, pois sentia que Deus lhe daria um grande livramento", escreveu a psicóloga em sua página no Facebook.

Marisa se referiu ao Pr Dorgival Timoteo, que fez a oração por Bolsonaro junto com Michelle. Ele é um missionário que atua no Japão.

Foto da cirurgia contesta alegações de opositores


Outra imagem que chamou atenção do público foi a foto da cirurgia realizada em Bolsonaro após o esfaqueamento. Ela foi divulgada pelo senador Magno Malta, que esteve em visita ao hospital onde o presidenciável está internado.



Malta publicou a foto em suas redes sociais, com a exata intenção de contraditar às alegações de que o atentado teria sido forjado. "Tem quem ainda fala que o atentado na véspera da Independência do Brasil é fake News", escreveu o senador em sua conta no Facebook, legendando a fotografia.

Devido aos traumas provocados pela facada, os médicos tiveram que abrir todo o abdome do candidato, para estancar a hemorragia interna, suturar os ferimentos e realizar um procedimento de limpeza para evitar maiores riscos de infecção.


COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.