Diretor do Instituto de Pesquisa Vox Populi é colunista da revista Carta Capital, de esquerda


Qual é o nível de confiança que você deposita nas pesquisas de intenção de voto realizadas no Brasil? Esta semana foi divulgada uma pesquisa realizada pelo Instituto Vox Populi, onde o atual candidato à Presidência da República do Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, aparece em primeiro lugar, com supostos 22% das intenções.


Para um candidato ainda muito desconhecido, que mal foi oficializado e já está sendo investigado por crime de corrupção, o número estrondoso não soa como quem saiu do espaço por acaso, ao que tudo indica. Basta saber que o diretor da empresa que realizou a pesquisa é Marcos Coimbra, o mesmo que escreve para a revista Carta Capital, conhecida por se dedicar ao esquerdismo político.

Em 15 do mês passado, por exemplo, Coimbra publicou uma matéria na Carta Capital com o título sugestivo: "Mesmo preso, Lula permanece vivíssimo. E não terá dificuldade para levar Fernando Haddad ao segundo turno".

Intencionalidade patente aos olhos de qualquer pessoa, que, fazendo uso do bom senso, dificilmente acreditará em qualquer isenção nas pesquisas realizadas pela empresa de Marcos Coimbra, o Instituto Vox Populi. Empresa que como qualquer outra privada, atua por encomenda, quando contratada para determinados serviços.


A "análise" de Marcos Coimbra como cientista político também já foi publicada no próprio site do Partido dos Trabalhadores (PT), como você pode ver aqui, onde o diretor da Vox Populi destaca o receio de alguns setores sobre a possível reeleição de Lula ao Planalto.

A ligação de Marcos Coimbra com setores da esquerda é irrefutável. Até que ponto ele permite que a sua ideologia influencie no trabalho realizado por sua empresa, essa é outra questão, mas que certamente o cidadão minimamente informado em época de tantas "fake news" saberá responder por conta própria.

Por: Will R. Filho


COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.