A ideologia de gênero se tornou um "abuso infantil em grande escala", diz especialista



Ocorreu no último dia 22, nos Estados Unidos, um evento da Heritage Foundation, para discutir os perigos associados aos argumentos da ideologia de gênero em nossos dias, a qual prega que a "autopercepção", e não a realidade biológica, é o que determina a identidade sexual de uma pessoa.

No evento estiveram presentes dois renomados especialistas no assunto, conhecidos mundialmente, sendo o psiquiatra Dr. Paul McHugh e a pediatra Dra. Michelle Cretella. Ambos atuam na área de pesquisa e possuem diversas publicações afirmando o caráter ideológico, e não científico, da ideologia de gênero.



"A América está envolvida em abuso infantil em grande escala", disse Cretella em seu pronunciamento. "E cúmplice nisso é o meu campo, minha área de pediatria, psiquiatria, nosso sistema educacional, mídia de massa e a mídia social".

Cretella, que atualmente atua como presidente do Colégio Americano de Pediatras em Gainesville, na Flórida, destacou que o sexo não é meramente uma atribuição cultural, vinda pelo discurso, mas sim um dado concreto da biologia.

"O sexo não é atribuído pelas pessoas. Eu não atribuo sexo aos meus pacientes quando os vejo na sala de parto. Ele se declara. Nós reconhecemos isso. Nossos corpos nos dizem quem somos", disse ela, ressaltando que o posicionamento contra a ideologia de gênero também diz respeito às liberdades individuais, uma vez que cresce o número de casos em que o Estado obriga os pais a submeterem seus filhos ao tratamento hormonal para a supressão da puberdade.

"Precisamos nos levantar não apenas por causa de nossos filhos, mas por nossas liberdades mais básicas ", disse ela segundo o Christian Post, seguida do Dr. McHugh, ao explicar que as evidências de sucesso do tratamento hormonal são menos confiáveis do que os critérios utilizados para legalizar uma simples aspirina.



"Estamos agora trabalhando para dar às crianças, particularmente hormônios e cirurgias, que não temos certeza se são os melhores para elas. Os dados de pesquisas disponíveis para esses tratamentos e hormônios foram descritos oficialmente na literatura como evidências de baixa qualidade", disse ele. "Com esse tipo de dado para evidenciar, você não usaria uma aspirina se tivesse essa qualidade".

A promoção da ideologia de gênero é um dos problemas de ordem cultural mais preocupantes do nosso tempo, pois diz respeito ao comportamento humano, sendo algo que foi abraçado por intenso ativismo político-ideológico, prejudicando, assim, toda a produção de conhecimento científico sobre o assunto.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.