Adelio Bispo é só a ponta de uma lança forjada por um esquema muito maior do que ele

Adelio Bispo é só a ponta de uma lança forjada por um esquema muito maior do que ele

A tentativa de assassinato contra o presidenciável Jair Messias Bolsonaro, ocorrida na última quinta-feira (6) em Juiz de Fora, Minas Gerais, vai muito além de como a grande mídia trata o assunto. 


O que aconteceu com Bolsonaro não pode ser visto com surpresa, o que agrava a situação. Recentemente, por exemplo, publicamos um texto intitulado "Ataque em massa contra Jair Bolsonaro revela desespero e a falência do jornalismo no país".



"Não são uma, duas ou três matérias abordando cada passo do presidenciável Jair Bolsonaro, mas várias por dia, publicadas por veículos como o UOL, o portal G1, VEJA, Folha e Estadão, apenas como exemplo, todas trazendo informações com alguma distorção, omissão ou má interpretação dos fatos relacionados ao candidato", diz o início o texto.

Se engana quem enxerga essa oposição em massa apenas do ponto de vista ético e moral. Não é a influência sobre os usos e costumes do país que está em jogo, apenas, mas o controle da nação mais poderosa da América Latina, principal veia arterial que mantém viva a agenda de dominação política da esquerda sobre o continente.

Brasil é a maior potência econômica da América Latina
A esquerda vem obtendo derrotas significativas em toda a América Latina desde 2014, quando aqui mesmo no Brasil a eleição da ex-presidente Dilma ocorreu sob suspeitas de fraude, resultando no seu impeachment em 2016 pelo crime de improbidade administrativa. Na mesma ocasião, a esquerda perdeu em quase todos os pleitos estaduais, enquanto a bancada conservadora cresceu como nunca antes na história.



Das três maiores economias do Continente Latino, Brasil (1), Argentina (2) e México (3), apenas o último possui um Presidente de esquerda no poder (Manuel Obrador), que mesmo assim só obteve sua ascensão graças aos 10 milhões de votos evangélicos, orientados pelo partido Encuentro Social (PES), de Hugo Érico Flores.

Flores decidiu apoiar Obrador visando o aumento da bancada evangélica no Congresso Mexicano. Tudo indica que se tratou de uma manobra, já que o Presidente não possui governabilidade sem o apoio da maioria do parlamento.

Na Argentina, Maurício Macri destronou 12 anos do Governo esquerdista de Cristina Kirchner, envolvida em denúncias de corrupção. Na Colômbia, o conservador Iván Duque foi eleito Presidente e fez questão de destacar o mérito da sua vitória:

“Quero agradecer a Deus e ao povo colombiano, porque uma nova geração chega para governar com todos e para todos, com a maior votação na história de nosso país”, disse ele no Twitter.



No Chile, o também conservador de centro-direita, Sebastián Piñera, foi eleito Presidente, vencendo o esquerdista Alejandro Guillier. No Equador, Lenín Moreno foi eleito Presidente, enterrando a era socialista de Rafael Corrêa, que posteriormente teve um pedido de prisão decretado por suspeita de envolvimento em um sequestro de opositor, em 2012.

A Venezuela está em colapso, mantida sob o regime socialista de Nicolás Maduro via o autoritarismo. A Nicarágua, do esquerdista Daniel Ortega, também segue o caminho venezuelano e, finalmente, no Brasil, o tapa-buraco Michel Temer está com seus dias contados no Planalto.

Uma ameaça continental contra a esquerda

Com este pequeno resumo é possível perceber o tamanho do prejuízo que a esquerda está amargando. Se por um lado os Estados Unidos influenciam o mundo sob o Governo de Donald Trump, o Brasil influencia toda a América Latina.

Caso eleito, Jair Bolsonaro já indicou que abrirá a "caixa preta do BNDS" para investigar o suposto desvio de dinheiro público na era PT, para apoiar os regimes socialistas do continente. Caso tais suspeitas se confirmem, não serão apenas os mandatários brasileiros investigados e possivelmente presos, mas dos países vizinhos também.



Finalmente, quando analisado de forma abrangente o ataque em massa contra Jair Bolsonaro promovido pela grande mídia, a tentativa de assassinato e o número de informações desencontradas envolvendo Adelio Bispo, incluindo a prontidão não de um, mas de uma equipe de advogados do mais alto gabarito em sua defesa, é difícil acreditar que esse não foi um atentado muito bem articulado nos bastidores da política regional.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.