Situação de venezuelanos é fruto da cumplicidade de Lula e a incompetência de Temer




No sábado, refugiados venezuelanos foram agredidos e expulsos das tendas que ocupavam em Pacaraima, em Roraima. A agressão aconteceu, de acordo com a Folha de SP, depois que um comerciante local foi agredido por quatro venezuelanos em uma tentativa de assalto. As autoridades brasileiras locais não intervieram.

Desde 2017, cerca de 130 mil venezuelanos já fugiram para Roraima do “excesso” de democracia que o ex-presidente Lula, preso por corrupção e lavagem de dinheiro, disse existir na Venezuela socialista sob o ditador Maduro.



Quem criou esta situação foi o presidente Michel Temer, o “estadista de garagem”, que ainda que condene a ditadura esquerdista que governa com mão-de-ferro a Venezuela, é leniente em relação ao problema de imigração.

Seria interessante saber se Aloysio Nunes, o chanceler do PSDB que liderou a aprovação da Lei de Imigração, que prejudica a nação, responderá por seus atos.

Aliás, aqueles que apoiaram a Lei de Imigração deveriam abrir suas casas para receber os venezuelanos, sob seu cuidado direto. É fácil apoiar tal lei e empurrar os imigrantes para abrigos do governo ou igrejas. Esgarçar as instituições brasileiras é fácil. Predar o estado de bem-estar social capenga de nosso país não implica sacrifício pessoal ou demonstração de verdadeira caridade cristã.



Aqueles a favor dos imigrantes deveriam abrigá-los em suas casas, sustentando-os com seu esforço pessoal. Se não for assim, o discurso de apoio à Lei de Imigração é só arrogante, inconsistente e hipócrita.

E o governo federal que cuide para que a insatisfação e a revolta popular que ocorreu em Roraima não tome conta de todo o país. Ninguém atura mais as decisões estúpidas de nossos governantes, como abrir as fronteiras em meio à maior crise econômica que o país enfrenta.

O Brasil está no ponto para entrar em ebulição.

Já temos 14 milhões de desempregados.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.