"O 'tio Google' tem sido o conselheiro de muitas famílias", alerta psicóloga


A psicóloga Marisa Lobo, pré-candidata ao cargo de deputada federal pelo Paraná esse ano, publicou um artigo falando da importância do relacionamento familiar, em especial entre pais e filhos, dizendo que o distanciamento provocado pela internet tem produzido jovens com problemas emocionais.

"Quando pais e filhos não conversam com o tempo e qualidade que deveriam, a tendência é que os filhos se tornem jovens inseguros pela falta de referência e apoio dentro de casa", pontuou a psicóloga, explicando que a falta de conversa pode ser consequência da capacidade dos pais de se colocarem no lugar dos filhos.

"Alguns pais não conseguem enxergar o mundo dos filhos. Por serem adultos e já terem passado por várias experiências, muitas vezes o que os filhos trazem como situação do seu dia-a-dia termina sendo desprezado ou menosprezado pelos pais", escreveu a a psicóloga.

Marisa destacou conceitos que estão presentes no seu livro, "Como Fazer do seu Filho uma Criança Feliz", dizendo que a diferença de geração dos pais em relação aos filhos é um desafio a ser vencido, e não destacado. Ou seja, frases que supervalorizam a infância dos pais e diminuem a dos filhos terminam aprofundando o distanciamento da relação familiar.

"Todo pai e mãe precisa saber aceitar que a geração dos seus filhos não é a mesma da sua, e que assim como suas próprias gerações tiveram características marcantes, a dos filhos também possui. Mas, aceitação passa por compreensão, o que nem sempre significa concordância com tudo o que vemos se transformando ao longo do tempo. A verdade é que mesmo que você não concorde com certas coisas, a compreensão faz muita diferença na hora de dizer isso aos filhos, e eles sabem quando você realmente compreende ou não", acrescenta a psicóloga.

Isolamento provocado pela internet


Outro ponto importante destacado por Marisa Lobo foi a interferência da tecnologia no dia-a-dia da família. "Não só os jovens estão se isolamento no mundo virtual, mas também os adultos", disse ela, segundo informações do portal Guiame. "Atualmente vemos cenas lamentáveis de pais e filhos reunidos na sala de casa, mas todos no celular, sem interação alguma".

A influência não se resume aos aparelhos como celulares, tablets e computadores, mas aos aplicativos, personalidades da internet e os motores de busca como o Google. A psicóloga explicou que pelo distanciamento dos pais, os filhos terminam recorrendo à internet para poder tirar suas dúvidas.

"O que antes era culpa da novela, hoje são dos aplicativos. Crianças cada vez mais novas estão aprendendo a consultar no Google e na opinião dos “Youtubers”, ou dos chamados “influenciadores digitais”, questões que deveriam perguntar diretamente aos seus pais", destaca.

"O 'tio Google' tem sido o conselheiro de muitas famílias, e não os pais. Mas, isso é culpa dos filhos? É culpa da tecnologia? Faça você mesmo uma análise do seu comportamento dentro de casa e tire sua própria conclusão. O avanço tecnológico pode ser um benefício se utilizado com bom senso", conclui.

No final, Marisa Lobo aconselha que se necessário os pais criem limites dentro de casa, incluindo eles mesmos, como um horário marcado para que todos da família desliguem seus aparelhos. A intenção é que a falta de contato com a tecnologia permita recuperar um pouco mais os momentos de união, como o simples fato de todos sentarem em volta da mesa para um jantar em família.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.