FIFA abre processo contra torcida mexicana por "cantos homofóbicos" em jogo com Alemanha


A Fifa abriu nesta segunda-feira um procedimento disciplinar contra a Federação Mexicana de Futebol (Femexfut) pelos cantos de torcedores do país durante a vitória da 'Tri' sobre a Alemanha, por 1 a 0, no Estádio Luzhniki, em Moscou, na estreia das duas seleções pelo grupo F da Copa do Mundo.

Durante a partida, os torcedores entoaram o conhecido grito de "puto", que significa "bicha" em espanhol, quando o goleiro alemão, Manuel Neuer, cobrava tiros de meta.

A seleção mexicana já tinha sido punida por motivo similar na Copa das Confederações, na própria Rússia, no ano passado, e Copa do Mundo de 2014, no Brasil, onde os torcedores também repetiram os cantos homofóbicos a cada tiro de meta cobrado pelos goleiros adversários.

A Femexfut tem pedido para os torcedores do país para evitar esse tipo de cântico, sem sucesso.

Comentário:

Quem conhece o futebol e principalmente frequenta estádios, sabe com perfeição de que esse é um ambiente onde palavrões e xingamentos de todos os tipos existem aos montes.

Julgando meramente a questão ética, sem dúvida alguma o árbitro de futebol é a figura mais achincalhada durante os jogos, e os jogadores, evidentemente, não escapam disso.

Sob nenhuma hipótese xingamentos e ofensas são justificáveis em dado contexto. Isso parte da ignorância dos próprios torcedores e da alienação provocada pelo próprio futebol.

A torcida mexicana está tão errada quanto outras que utilizam palavrões semelhantes contra os árbitros, jogadores, bandeirinhas e muitos outros. O fato que chama atenção é o policiamento seletivo da FIFA, já que outros xingamentos também são ofensivos.

 Ao que parece, há uma preocupação muito mais em parecer politicamente correto para o mundo do que combater a verdadeira ignorância que permeia os estádios de futebol.

Fonte: EFE
Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.