ALERTA: Coalizão internacional faz alerta mundial sobre o seriado "13 Reasons Why"


Em 2017, a Netflix lançou o seriado "13 Reasons Why" para todo o público, causando grande preocupação por parte de especialistas.

Um estudo publicado no Journal of American Medical Association descobriu um aumento significativo nas buscas na internet sobre o termo "suicídio" após o lançamento da primeira temporada.

Como resultado e em reação ao lançamento da 2ª temporada, ocorrida em 18 de maio de 2018, uma coalizão internacional de especialistas em educação, saúde mental e prevenção do suicídio divulgaram preocupações e recomendações para jovens, pais, educadores e clínicos/profissionais.

“Queremos garantir que o público esteja ciente e preparado para o lançamento da segunda temporada, para que eles possam estar informados e disponíveis para os jovens que queiram falar sobre os assuntos da série, bem como para os jovens que lutam com o conteúdo”, Disse o Dr. Dan Reidenberg, diretor executivo da SAVE, que lidera a coalizão.

“Enquanto esperamos que a série encoraje conversas importantes e comportamentos mais positivos e saudáveis, também estamos preocupados que a série possa ter resultados negativos para alguns jovens”, acrescentou.

A coalizão de organizações sem fins lucrativos, instituições educacionais e de pesquisa, organizações associativas, grupos de defesa e profissionais divulgou a declaração exortando os adultos a fazerem um esforço para assistir a série com os jovens [que fazem questão de assistir] e conversar com eles sobre as questões levantadas no programa.  A declaração completa pode ser encontrada em www.13reasonswhytoolkit.org.

Pesquisas demonstram que representações de violência e autoflagelação podem aumentar a probabilidade de comportamentos copiados. Os adolescentes são um grupo vulnerável e altamente impressionáveis, freqüentemente copiando os comportamentos dos outros ou reagindo em resposta às coisas que viram.

Esse comportamento imitador e nocivo exibido na televisão e/ou no cinema pode levar a resultados prejudiciais. "A primeira temporada incluiu um retrato detalhado do suicídio, violência e representou adultos e profissionais de maneira não-cuidadosa", segundo o Dr. Murad Khan, presidente da Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio.

“Ao criar um kit de ferramentas para jovens, adultos e profissionais, podemos demonstrar habilidades de enfrentamento construtivas e positivas e estimular a recuperação e a esperança.”

A fim de ajudar a reduzir o risco de incentivo ao suicídio, a coalizão implora que a mídia que cobre esse seriado seja cautelosa e siga as recomendações internacionais de mensagens de apoio ao relatar sobre o tema do suicídio, tais como os canais abaixo:

https://www.cvv.org.br/ (Brasil)
Telefone para conversa: 188 (Brasil)
Chat para conversa online (Brasil), clique aqui.
http://www.reportingonsuicide.org
http://www.who.int/mental_health/suicide-prevention/resource_booklet_2017/en/
http://www.bloggingonsuicide.org

Em todos os relatos da mídia, é importante incluir informações factuais sobre taxas de suicídio, sinais de alerta de suicídio juvenil ( www.youthsuicidewarningsigns.org ), bem como informações sobre linhas de apoio para adolescentes e pais preocupados.

Ao reportar sobre tiroteios em massa, os meios de comunicação são encorajados a seguir as recomendações encontradas em: http://www.reportingonmassshootings.org.

Uma visão geral sobre mecanismos de apoio e serviços para pessoas em perigo em diferentes países pode ser acessada através do site: https://www.iasp.info/resources/Crisis_Centres

Abaixo, segue a lista das entidades que assinaram a Coalizão Internacional de alerta sobre o seriado:

International Coalition Partners
Academia Americana de Psiquiatria Infantil e Adolescente
Associação Americana de Suicidologia Associação
Americana de Psiquiatria
Instituto Australiano de Pesquisa e Prevenção ao Suicídio
Sociedade Britânica de Psicologia
Instituto de Pesquisa Dinamarquesa de Prevenção do Suicídio
Associação Internacional de Prevenção do Suicídio
Academia de Pesquisa do Suicídio
Universidade Médica de Viena, Centro de Saúde Pública, Departamento de Medicina Preventiva e Social
Fundação de Saúde Mental da Nova Zelândia
Associação Nacional de Psicólogos Escolares
Conselho Nacional de Saúde Comportamental
Fundação Nacional de Pesquisa do Suicídio, Irlanda
Orygen, o Centro Nacional de Excelência em Saúde Mental Juvenil, Austrália
Samaritans / Befriender's Worldwide
Centro de Psiquiatria de Stanford para a Saúde Mental Juvenil e
Escola de Saúde Pública Wellbeing , University College Cork, Irlanda
Sociedade para a Prevenção do Suicídio Adolescente
Laboratório de Pesquisa de Comportamento Suicida, Universidade de Glasgow, Escócia
Vozes Conscientizadoras do Suicídio da Educação
A Fundação Jason
The Jed Foundation (JED)
A Lancet Psychiatry
The Trevor Project

Fonte: APA

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.