ALERTA: Consumo de açúcar durante a gestação diminui a capacidade cognitiva dos filhos, aponta estudo

consumir açúcar durante a gravidez

Um novo estudo publicado no American Journal of Preventive Medicine apontou que ocorre empobrecimento na cognição infantil, particularmente na memória e na aprendizagem, quando as mulheres grávidas ou seus filhos consomem maiores quantidades de açúcar. No entanto, o consumo de frutas pelas crianças teve efeito benéfico e foi associado a maiores escores cognitivos.

A pesquisa está cada vez mais focada no impacto adverso do consumo de açúcar na saúde, especialmente o xarope de milho rico em frutose. O consumo de açúcar entre os americanos está acima dos limites recomendados e as Diretrizes Dietéticas Atuais para os americanos enfatizam a importância de reduzir os açúcares adicionados nos alimentos.

Eles são incorporados em alimentos e bebidas durante a preparação ou processamento, com bebidas açucaradas (SSBs), sendo o maior contribuinte nas dietas dos americanos. Também há evidências de que o consumo de açúcar pode impactar negativamente o desenvolvimento cognitivo das crianças.

"O objetivo do nosso estudo foi examinar associações da gravidez e o consumo de açúcar dos filhos (sacarose, frutose) com a cognição infantil", explicou a principal pesquisadora, Juliana FW Cohen, da Faculdade de Ciências da Saúde, Merrimack College. "Além disso, examinamos associações de consumo materno e infantil de SSBs, outras bebidas, incluindo refrigerante diet, suco e frutas relacionados à cognição infantil.".

Pesquisadores coletaram dados de avaliação alimentar de mais de 1.000 mulheres grávidas de 1999 a 2002 que participaram do Projeto Viva. As dietas dos filhos foram avaliadas na primeira infância. A cognição infantil foi avaliada no início e no meio da infância (aproximadamente aos 3 e 7 anos, respectivamente).

Os resultados deste estudo indicam que consumir mais frutas e menos açúcar, bem como evitar refrigerante diet durante a gravidez, pode ter um impacto significativo no funcionamento cognitivo da criança.

As principais descobertas incluem:

O consumo de açúcar materno, especialmente de SSBs, foi associado à pior cognição na infância, incluindo habilidades não-verbais para resolver problemas novos e memória verbal mais fraca;

O consumo de SSBs materno foi associado à menor inteligência global associada tanto ao conhecimento verbal quanto às habilidades não verbais;

O consumo de soda dietética materna foi associado a habilidades motoras visuais, visuais e espaciais finas mais precárias na primeira infância e a habilidades verbais mais pobres na metade da infância;

O consumo de SSBs na infância foi associado à menor inteligência verbal na metade da infância;

O consumo infantil de frutose e frutas na primeira infância foi associado a maiores escores cognitivos em várias áreas e maior vocabulário receptivo;

O fruto foi adicionalmente associado com maiores habilidades motoras e visuais na primeira infância e inteligência verbal em meados da infância;

O consumo de suco de frutas não foi associado à cognição melhorada, o que pode sugerir que os benefícios são de outros aspectos das frutas, como os fitoquímicos, e não a própria frutose.

“Este estudo fornece evidências de que não deve haver mais atrasos na implementação do novo rótulo de Informações Nutricionais. O novo rótulo fornecerá informações sobre os açúcares adicionados, para que as mulheres grávidas e os pais possam fazer escolhas informadas sobre os açúcares adicionados e limitar mais facilmente sua ingestão. Este estudo também fornece suporte adicional para manter os programas federais de nutrição, como o Programa Especial de Nutrição Suplementar para Mulheres, Bebês e Crianças (WIC) e o Programa Nacional de Almoço Escolar, porque sua promoção de dietas mais ricas em frutas e menor em açúcares adicionados pode estar associado à melhora da cognição infantil”, comentou a Drª. Cohen.


Por: Jillian B. Morgan - Elsevier 

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.