Em desabafo contra a legenda de Bolsonaro, Marisa diz: "Vou procurar um partido que acredite em mim"


A Psicóloga Marisa Lobo, conhecida por suas palestras e livros abordando os perigos da ideologia de gênero na sociedade, fez um desabafo em sua rede social contra o partido do pré-candidato à Presidência da República, Jair Messias Bolsonaro. Segundo ela, falta "espaço para mulheres no seu time".

"Gosto muito do Bolsonaro, mas infelizmente não tem espaço para mulheres no seu time aqui no Paraná. Já montaram os seus deputados e senadores em todos os estados", escreveu ela, afirmando que as mulheres "só são cabos eleitorais, escadas, usadas para completar chapa. Eu mesma, que o defendi e defendo não tenho espaço e já fui usada em outro partido", criticou Marisa.


A Psicóloga, que pretende disputar o cargo de Deputada Federal este ano, se mostrou indignada com a falta de apoio dos colegas conservadores, alegando que esse é um problema de "mentalidade" acerca da participação feminina na política. Na prática, tal postura dos colegas conservadores, em não lhe dar o devido espaço na legenda, dificulta sua luta em prol da família:

"Como querem que eu ganhe eleição assim? Vou ter que me virar sozinha e procurar um partido que acredite no meu potencial e apoie minhas lutas, de fato. A culpa não e dele [Bolsonaro], sei que campanha é assim mesmo, mas acho que com tudo que faço há anos, merecia um pouquinho só de cuidado, espaço, consideração", escreveu a Psicóloga.

"Não é justo, não sou mulher de falácias, tenho um sonho de contribuir com meu país e vou procurar um lugar que me deem valor, e que a legenda me dê condições", desabafou.


Marisa Lobo responde à críticas após o seu desabafo


Após o seu desabafo, alguns internautas, ao que parece, insinuaram que Marisa Lobo estaria agindo contra o movimento conservador e suas pautas. A psicóloga, então, fez questão de publicar outro desabafo, dizendo que se alguém "ousar" dizer tais coisas é "mentiroso" e "cruel".

"Antes de muitos entenderem a reorientação mundial da sexualidade humana, antes de muitos terem a coragem de enfrentar a marcha da maconha, antes das redes sociais explodirem eu já estava na luta", escreveu ela. "Não contribuí com a esquerda como muitos hoje que se dizem direita. Não estou os criticando, apenas constatando".


"Luto em favor da vida e a família desde 1996. Luto contra as drogas e DSTs desde 1986. Eu fui a criadora do #MaconhaNao e sou coordenadora nacional, embora hoje muitos tentem ignorar minha luta", escreveu.

Por fim, Marisa Lobo disse que continuará apoiando a candidatura de Jair Bolsonaro, mas que no meio político há outros interesses capazes de lhe prejudicar: "Ao lado dele tem muitos aproveitadores", lembrou ela.

Sem dúvida, muitos interesses influenciam o apoio daqueles que pretendem se eleger esse ano. O que a sociedade espera, em todo caso, é que tais pessoas não deixem de olhar para os pontos comuns, em prol das mesmas causas. Que personalidades como a Marisa Lobo tenham, sim, mais espaço, assim como outros que se alinham com suas ideias, ou não. Isso é saudável para a democracia e é por isso que torcemos.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.