Professor de Psicologia rebate nota do Conselho Federal contra a psicóloga Marisa Lobo

Professor de Psicologia rebate nota contra Marisa Lobo

A psicóloga Marisa Lobo não está sozinha na luta contra o aparelhamento ideológico na psicologia


Com posicionamentos de caráter político-ideológicos mais frequentes, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) vem sendo alvo de críticas dos profissionais insatisfeitos com o órgão, acusado de cometer "desvio de finalidade" e defender questões partidárias.


Um exemplo dessa insatisfação é a crítica feita pelo Psicólogo Carlos Portela, Mestre em Neurociências, Doutor em Ciências e Pós Doutor em Neuroimunomodulação, ao Conselho Federal de Psicologia.

Portela, que também leciona na área, comentou a nota de repúdio lançada pelo CFP em 2016 contra a psicóloga Marisa Lobo. A intenção da nota foi repudiar não apenas às declarações de Marisa contra a ideologia de gênero, mas também seu livro "A Ideologia de Gênero na Educação".


Confira abaixo a crítica do Dr. Carlos Portela à nota do CFP:


"A análise do texto claramente mostra que os autores acusam pessoalmente Marisa Lobo de lançar mão de um 'conjunto de fundamentos religiosos dogmáticos', para posicionar-se contra a ideologia de gênero no currículo escolar infantil. Passa a impressão - ao leitor ingênuo – de que a psicóloga está tomada por um fanatismo religioso, que a confunde e torna seus conceitos 'equivocados'.

O conteúdo textual sinaliza que Marisa não aceita ou não concorda com supostos avanços da modernidade, os quais estariam promovendo 'equidade sexual' e 'justiça social', acusando-a, ainda que veladamente, de desconsiderar, em suas declarações, argumentos os quais (para eles) são científicos, universais e irrefutáveis, argumentos estes que o leitor não sabe quais são, até porque não existem.

Assim, é fácil concluir, pela nota, que Marisa Lobo tem suas declarações repudiadas pelo órgão porque ela insiste em impor a sua doutrinação religiosa até mesmo nas escolas e que a psicóloga baseia-se apenas em princípios religiosos para argumentar sua posição contrária à chamada 'ideologia de gênero'.

Desta forma, a nota obnubila o público, ocultando posições e publicações dela Marisa e de inúmeros renomados cientistas que asseguram que tal ideologia de gênero nunca existiu e que é meramente uma invenção de pessoas que pregam uma doutrinação ideológica, obcecados pela inversão dos valores morais da sociedade.


Em tempo, doutrinação ideológica é uma expressão que indica uma ação, ação de formar uma doutrina. E doutrina nada mais é do que um conjunto de conhecimentos que servem de princípios para algum sistema filosófico, norteador tanto de religiões, como de posições político-partidárias.

Portanto, a referida comissão oculta, sob o falso pretexto do laicismo na psicologia, uma verdadeira doutrinação ideológica, o que faz lembrar uma conhecida frase do revolucionário comunista Lenin: “Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é!”.

Não é atoa que os próprios defensores do marxismo sempre argumentaram que os conservadores 'os punem' por seus 'crimes de pensamento'. Então o que dizer desses mesmos movimentos ditos progressistas, quando eles mesmos criminalizam 'as declarações' de Marisa Lobo, acusando-a, ainda que indiretamente, de ser falseadora?

Doravante, da leitura do texto depreende-se que apenas a posição do conselho é a verdadeira, intocável e inquestionável, a despeito de que nenhuma delas tem embasamento científico.

Ora, tal 'nota de repúdio' não é senão uma versão invertida do macartismo norte-americano, que no caso do conselho comprova mais uma vez seu infindável desejo de 'caça aos Cristãos'.

Finalmente, é curioso como esses defensores do 'estado laico nas profissões' não só expressam claramente a sua aversão aos valores morais da sociedade, os quais não estão restritos aos ensinamentos Cristãos, mas rejeitam a ordem democrática social, na medida em que repudiam o pensamento da grande maioria da população.

Pior que isso, os membros do Conselho demonstram ser notoriamente intolerantes a princípios científicos universais, desconsiderando através de seus achismos, todo o conhecimento acumulado por séculos pelas ciências biológicas e biomédicas."


Prof. Dr. Carlos Portela, MsC, DsC, PhD
Psicólogo: CRP 06/49.887-1

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anônimo
16 de fevereiro de 2018 17:22

Esse texto foi a maior piada que ouvi esse ano. Vão ter que se superar pra bater essa.

Resposta
avatar
16 de fevereiro de 2018 18:03

Olá "Anônimo"! Em que parte o texto lhe tocou?

Resposta
avatar
Anônimo
25 de fevereiro de 2018 23:40

"A análise do texto claramente mostra que os autores acusam pessoalmente Marisa

Lobo"

O que significa acusá-la pessoalmente ? Se a análise do texto mostra isso

claramente, seria importante o senhor apontar como e onde isso acontece, no texto

da nota.

"Passa a impressão - ao leitor ingênuo – de que a psicóloga está tomada por um

fanatismo religioso, que a confunde e torna seus conceitos 'equivocados'."

Por que a nota à Marisa Lobo dá a impressão de que a psicologia como um todo

estaria tomada por fanatismo religioso ? Não vi nenhuma referência abrangente na

nota, pelo contrário, essa refere-se especificamente e recorrentemente, à Marisa.

"O conteúdo textual sinaliza que Marisa não aceita ou não concorda com supostos

avanços da modernidade, os quais estariam promovendo 'equidade sexual' e 'justiça

social'"

Não encontrei na nota, os termos "equidade sexual" e "justiça social"; estamos

falando do mesmo texto, de 2016 ? A nota fala de "estratégias que visem suprimir

as desigualdades vivenciadas pelas mulheres e pessoas trans em seu cotidiano".

Essa questão é relevante para o senhor ?

"renomados cientistas que asseguram que tal ideologia de gênero nunca existiu e

que é meramente uma invenção de pessoas que pregam uma doutrinação ideológica,

obcecados pela inversão dos valores morais da sociedade."

Que é uma invenção, é óbvio; agora, me pergunto qual seria a motivação dessas

pessoas más para inverter os valores morais da sociedade (que, diga-se de

passagem, também seriam "inventados"). O problema é que esses valores são

muitíssimo importantes a você.

"...o que faz lembrar uma conhecida frase do revolucionário comunista Lenin:

“Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é!”.

O senhor poderia, por gentileza, me apontar de onde tirou essa citação de Lenin ?

"Ora, tal 'nota de repúdio' não é senão uma versão invertida do macartismo norte-

americano, que no caso do conselho comprova mais uma vez seu infindável desejo de

'caça aos Cristãos'."

Quer dizer que como cristão e conservador, o senhor se sente ofendido como

cientista ?

"Pior que isso, os membros do Conselho demonstram ser notoriamente intolerantes a

princípios científicos universais, desconsiderando através de seus achismos, todo

o conhecimento acumulado por séculos pelas ciências biológicas e biomédicas."

Devo acusar o senhor de impor os seus princípios científicos universais sobre os

outros sem nem mesmo mencionar quais são ? O senhor poderia mencionar ao que se refere ? Qual conhecimento das

ciências biológicas e biomédicas inviabilizariam os direitos à diversidade de

gênero e de sexualidade ?

Resposta
avatar