OS 10 MOTIVOS DA TRAIÇÃO


 
1º - Você não gosta realmente dele(a);

Obs – Essa é muitas vezes uma conclusão difícil para você mesmo(a). Tudo começou muito bem, mas tavez seja apenas uma paixão passageira. Acontece que com o passar do tempo você criou vínculos afetivos e rotinas do dia-a-dia que se misturaram com a paixão, agora é difícil saber discernir entre a paixão real do afeto e costumes. Mas, na prática, você vai percebendo que os desejos e o prazer de estar com o outro não se trata de uma motivação sexual-afetiva ou que simplesmente não há mais prazer algum. É nesse momento que sua condição emocional e sexual ficará vulnerável as investidas de outros,  pois é uma condição que seu atual parceiro não consegue mais atingir.  Nesse caso, para não ocasionar a traição é bom usar a consideração, comunicando a situação ao atual companheiro.

2º - Você gosta, mas não é correspondido(a), por isso desconta sua frustração com outra(o);

Obs - Este é um fato comum, em outras palavras você pensa: "já que ele(a) não me valoriza, vou mostrar que existe alguém que me deseja". Na prática isso é uma cilada, pois quem se passa por ridículo(a) no final da história é você. No primeiro momento pode lhe dar uma sensação de poder e conforto psicológico por achar valor em si mesmo(a) ao demonstrar-se "desejado(a)" por outra pessoa. No entanto, perceba que o problema de você não ser correspondido(a) se localiza em SEU parceiro, ou seja, no interesse DELE(A) por você.

Portanto não é vendo você com outro(a) que isso vai resolver, mas sim o que ele(a) vê EM VOCÊ ou o que VOCÊ vê nele que te faz se submeter a esse tipo de situação desnecessária, uma vez que você já provou para si mesmo(a) que existem outros que lhe desejam.

A  grande questão é: o que te faz dependente de uma pessoa que não corresponde aos seus sentimentos? Será que o problema é, realmente, seu parceiro ou seria o modo como você se valoriza?

3º - Você não gosta o suficiente, mas outros interesses fazem você manter uma relação de conveniências;

Obs. Complicado heim? O que posso dizer é muito simples: "um dia a casa cai". Muito cuidado, pois essa casa pode ser sua própria felicidade, realização pessoal, sentimental, familiar, etc. Relacionamento humano à dois, numa mesma casa, cama e coração  (ou não), deve ser movido por um sentimento autêntico de união e cumplicidade, qualquer coisa fora disso transforma a união numa relação de conveniências e isso inevitavelmente terminará em traição.

4º - Você não é valorizado(a) o bastante e sente a necessidade de buscar esse valor em outras(os);

Obs. Talvez um dos motivos mais comuns, mas também o mais fútil. Semelhante ao item número dois o problema aqui que te leva a traição não é o fato de não ser valorizado(a), mas o de permanecer com uma pessoa que não te valoriza e, assim, fazer disso uma necessidade de buscar satisfação em outros(as). Não seria mais fácil buscar valorizar a si mesmo(a)? 

5º - O relacionamento não é mais o mesmo, os dois mudaram, apesar de ainda existir afeto;

Obs.  Uma fatalidade anunciada é o nome desse problema. A verdade é que problemas como a monotonia, agressividade e indiferença no relacionamento é uma consequência verdadeiramente do ---- casal ---- e não de um ou de outro. Pois essas são características comportamentais que vão se revelando já no início do relacionamento., onde um admite os sintomas do outro gradualmente.

Se o relacionamento mudou é porque algo em você também mudou, mesmo que por influência do outro. Esse é o momento de pensar: o que mudou pode ser resgatado? Tem conserto ou não? Foi uma alteração do comportamento dos dois? E aqui vai uma grande dica: essa mudança de comportamento é uma característica de personalidade ou uma adaptação a um problema ocasional que o casal esta passando? Se for de personalidade dificilmente você irá mudar, mas se for ocasional então pode ser resolvida à dois, talvez com ajuda de um profissional.

6º - Você é daqueles que separa amor e sexo, pensa que fidelidade diz respeito ao amor e que o sexo com outra pessoa não significa trair esse sentimento;

Obs.  Uma teoria aclamada principalmente pelos homens. Não vou me dar o trabalho de refutá-la em detalhes pois seria necessário escrever um outro texto específico (quem sabe depois). Mas posso dizer que essa prática é incompatível com o sentimento de amor, conforme temos experimentado e testemunhado por aqueles que realmente vivem e conceituam esse amor.

O amor não aprisiona, nem deve, mas exige cumplicidade, transparência e confiança. A menos que você esteja fazendo isso com o consentimento do seu parceiro(a) (ai é assunto para outro texto), isso é traição e, portanto, um ato que não é nada transparente e muito menos confiante.

7º - Você tem baixa autoestima, sem perceber para se sentir valorizado(a) precisa estar testando como os outros lhe veem e lhe aceitam;

Obs.  Poucas pessoas percebem isso em si mesmas, mas é bastante comum. É o tipo de pessoa que para ela não bastam os elogios do seu parceiro, os carinhos, a atenção, essas coisas são quase sempre motivos de desconfiança e você fica geralmente com a sensação de que poderia ser melhor ou de que falta algo.

Na verdade em seu relacionamento não falta nada, onde falta é em VOCÊ!

Normalmente esse tipo de problema te leva a uma sensação de carência que acaba te fazendo mais vulnerável as investidas de outros(as), causando, assim, a ilusão de preenchimento desse "vazio" ao se relacionar com outra pessoa, pois isso lhe dá a falsa esperança de que "com esse(a) é bem melhor". No entanto, passa um tempo e você começa a sentir as mesmas coisas, te conduzindo à outros e outros relacionamentos, gerando um ciclo vicioso e também perigoso...

8º - Você é muito inseguro(a), desconfiado(a) e vive atormentando seu parceiro com possíveis traições, levando-o a despertar uma curiosidade que o levará a prática;

Obs.  Cuidado! Pessoas que ficam dizendo para o seu parceiro: "não quero você com fulano(a). Sicrano foi para a festa? Beltrano está ligando para você? Não quero você andando com fulana. Beltrana é isso, aquilo, e fica se atirando muito com você, etc". Ou seja, a chance de seu parceiro ou até mesmo você trair é muito maior quando você ou o outro fica "enchendo o saco" do parceiro com propagandas de traição com fulano, beltrano ou sicrano.

É comprovado que o despertar da curiosidade tende a nos levar a prática, portanto, aprenda mais sobre confiança e bom senso e esqueça beltrano, sicrana e fulano.

9º - Você quer terminar o relacionamento, mas não sabe como e vê no choque da traição a única maneira de distanciá-lo(a) para sempre.

Obs.  Acredite, muita gente faz isso, você mesmo(a) pode ter sido uma vítima sem saber (ui!). Encarar de frente para dizer "não te quero mais, vamos terminar", para algumas pessoas é mais difícil que simplesmente provocar o término do relacionamento por iniciativa do outro ao saber que está sendo traído(a).  Isso é um problema de índole, caráter ou aprendizado, de pessoas que, em quase tudo na vida tem dificuldades de encarar os problemas e desafios de frente, refletindo essa característica no relacionamento. O pior é que o tiro pode sair pela culatra e o que seria a resolução de um problema ser apenas o início de outro muito maior. Bom senso é a palavra!

10º - Você tomou um bela CACHAÇA e sentou a(o)... na primeira pessoa que passou pela frente.

Obs. Puro engano! A bebida não leva ninguém a fazer NADA QUE ANTES NÃO TENHA DESEJADO. A alteração provocada pela bebida apenas potencializa a manifestação e práticas de desejos rigidamente controlados ou omitidos. Quem trai e põe a culpa na bebida esta apenas sendo covarde consigo mesmo em não trazer a tona os desejos que tanto reprime em sã consciência. Isso é motivo de pensar e avaliar com cuidado, pois tem muita gente se aproveitando e criando até dupla personalidade: a do antes e depois da festa!

Muitos pontos poderia listar aqui, bem como detalhar os motivos que levam a eles, mas o texto ficaria muito grande e não é essa a intenção.

O que você pensa, qual é sua experiência sobre o assunto? Participe e deixe seu comentário abaixo. 

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.