Materialistas possuem mais amigos no Facebook, tratam eles como "objetos digitais" e gostam de fazer comparações, aponta estudo


Se você é materialista, é provável que use o Facebook com mais freqüência e intensidade. Um novo artigo em Heliyon revela que pessoas materialistas vêem e tratam seus amigos do Facebook como "objetos digitais" e têm significativamente mais amigos do que pessoas que estão menos interessadas em bens. 

O estudo também mostra que os materialistas possuem maior necessidade de comparar-se com outros no Facebook.

O estudo revela que as pessoas materialistas usam o Facebook para atingir seus objetivos e se sentirem bem. Os autores do artigo, da Ruhr-University Bochum na Alemanha, desenvolveram uma nova teoria para explicar isso: The Social Online Auto-Regulation Theory.


"As pessoas materialistas usam o Facebook com mais freqüência porque tendem a objetivar seus amigos do Facebook - eles adquirem amigos do Facebook para aumentar sua posse", disse o principal autor da pesquisa, Phillip Ozimek. "O Facebook fornece a plataforma perfeita para comparações sociais, com milhões de perfis e informações sobre pessoas. E é grátis - os materialistas adoram ferramentas que não custam dinheiro!".

Os pesquisadores primeiro conduziram um questionário on-line com 242 usuários do Facebook. O questionário solicitou aos participantes que classificassem suas opiniões com declarações para calcular sua atividade no Facebook (como: "Estou publicando fotografias"), orientação de comparação social ("Comparo frequentemente como faço socialmente"), materialismo ("Minha vida seria melhor se eu possuísse coisas que não tenho"), objetivação de amigos do Facebook ("Ter muitos amigos no Facebook contribui mais com o meu sucesso na vida pessoal e profissional") e instrumentalização de amigos do Facebook ("Até que ponto você pensa 'os amigos do Facebook são úteis para alcançar seus objetivos?'").

Os resultados sugeriram que o vínculo entre materialismo e atividade do Facebook pode ser parcialmente explicado por materialistas que apresentam uma orientação de comparação social mais forte, tendo mais amigos do Facebook e objetivando e instrumentalizando seus amigos de forma mais intensa.


Os autores replicaram a abordagem com uma amostra separada de 289 usuários do Facebook, contendo menos jovens e mais adultos do que a primeira amostra, e chegaram às mesmas conclusões.

A Teoria da Auto-Regulação Social Online que eles desenvolveram estende-se ainda mais, dizendo que as mídias sociais são uma ferramenta para alcançar metas importantes na vida. Para os materialistas, o Facebook é uma ferramenta para aprender o quão longe eles estão dos seus objetivos para se tornarem ricos.



Fonte: Elsevier


COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima