DENÚNCIA: Marvel lança "America Chavez", personagem LGBT que luta pela ideologia de gênero e contra as "normas culturais"


 A empresa de desenhos em quadrinhos Marvel Comics está promovendo a ideologia de gênero através de personagens gays em revistas e vídeos para crianças e adolescentes.


A quantidade de fatos e denúncias que chegam até nós através de leitores preocupados e também revoltados com o avanço do ativismo LGBT para o público infanto-juvenil, está pedindo urgência e cada vez atenção dos pais.

Semana passada denunciamos o desenho pornográfico "A Festa da Salsicha", conseguindo atingir milhões de pessoas. Felizmente, devido a essa mobilização e o envolvimento da sociedade, o canal HBO Max, responsável pela transmissão do desenho, retirou o conteúdo do ar. Esse acontecimento apenas demonstra o quanto é importante essas denúncias e a participação direta de você, pai e mãe, cidadão de bom senso que entende a importância de princípios éticos e morais.


Entretanto, passados alguns dias viemos dessa vez fazer mais uma denúncia, agora envolvendo outra gigante do entretenimento, a Marvel Comics. Esse é o ramo editorial da empresa Marvel Entertainment, que pertence - preste atenção - a Walt Disney Company desde 2009.

Para que você entenda a gravidade e o potencial de influência que tem essa empresa sobre a formação de pensamento de crianças e adolescentes, basta saber que a Marvel é a "criadora" de personagens como Capitão América, Homem Aranha, o Quarteto Fantástico e o grupo X-Men, entre outros. Apenas esses dispensam apresentações.

Você provavelmente já teve algum desses heróis como referência, certo? É possível até que tenha se inspirado neles e transmitido para seus filhos o mesmo universo de fantasia e imaginação que teve na sua infância. Até ai, nada demais.

O problema é que foi pesando exatamente nesse potencial de influência que a Marvel resolveu adotar o "politicamente correto" e também a ideologia de gênero como fonte inspiradora de algumas das suas criações. A empresa decidiu lançar o personagem "América Chavez". Se trata de uma mulher gay, de origem latina, apresentada com os estereótipos do que alguns chamam de "minorias".

Gabby Rivera, uma ativista LGBT responsável pela criação do personagem América Chavez da Marvel


Segundo Gabby Rivera, criadora do personagem América Chavez, essa é uma forma de romper com as "normas culturais". Em uma entrevista para o PBS NewsHour, ela disse que se "há espaço para mais histórias e há espaço para mais identidades. Se você pode ter... animais gigantes azuis e mutantes, então há espaço para uma história sobre uma pequena lésbica latina explorando outras dimensões".

Gabby Rivera autora do personagem America Chavez
Gabby Rivera, autora do personagem gay America Chavez da Marvel Comics

Em seu site pessoal, Rivera diz estar escrevendo sobre "o primeiro personagem lésbico latino para a Marvel" e que também fala de suas experiências pessoais, ressaltando a importância de defender as pautas LGBTs. Observe que ela deixa evidente sua intenção: defender suas pautas ideológicas, algo que está mais do que estampado em seu roteiro.

O campo da imparcialidade ética entre as crianças, que a maioria de nós, adultos, independente dos credos e visões políticas, concordamos ser necessário, onde questões morais de caráter universal como respeito ao próximo, a luta contra o crime, a valorização da justiça como um todo, a vitória do bem contra o mal, etc., deixa de existir quando o desenho vira campo de batalha ideológica.


 Os desenhos viraram palcos para doutrinação ideológica - Os pais precisam ficar atentos e oferecer outras alternativas


Os desenhos deixaram de ser "apenas" desenhos. Como prova o caso de Gabby Rivera, os ideólogos de gênero e outras ideologias estão utilizando o universo infantil para conquistar futuros militantes de suas causas. Eles fazem isso porque sabem da vulnerabilidade das crianças e adolescentes, que não possuem maturidade, conhecimento e senso crítico suficientes para contrapôr à malícia dos seus métodos.

Portanto, é necessário que pais e mães fiquem cada vez mais atentos ao que seus filhos estão vendo na TV, na internet, no celular, ouvindo nas músicas e recebendo de conteúdo na escola. Isso precisa ser feito com intimidade, mantendo sempre o bom diálogo, tendo deles sua confiança, para que eles mesmos saibam que podem contar para vocês o que for necessário.

Outro ponto importante é oferecer conteúdos alternativos de entretenimento. Crianças muito pequenas em especial, são entretidas com facilidade. Observe os desenhos, revistas e personagens, canais de TV, parando por algum momento para assisti-los também ao lado dos seus filhos. Se não conhecer ou tiver dificuldade para identificar esses conteúdos, peça ajuda.

Uma boa dica é fazer uma seleção particular, com filmes, desenhos, seriados, brinquedos, etc., que você pode adquirir comprando pela internet e até baixando gratuitamente. Isso tudo, claro, sempre com bom senso, pois assim como são produzidas coisas ruins, também há mídias boas lançando bons conteúdos, mas para isso você precisa ficar atento, ter o interesse de pesquisar e, o mais importante, não se conformar com essa modelagem cultural.

Assista o vídeo sobre America Chavez abaixo:



heorina por evangeliopurord

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima
Anônimo
27 de agosto de 2017 16:22

Jogaram um balde de merda no ventilador

Resposta
avatar