Para receber transgêneros, Igreja aprova cerimônia que marca a "transição de gênero" das pessoas

A Igreja da Inglaterra votou a favor da criação de cerimônias religiosas para "marcar a transição de gênero de uma pessoa" em uma tentativa de "receber pessoas transgêneros".


O Sínodo Geral da Igreja Anglicana [oficial na Inglaterra] aprovou uma moção sobre o acolhimento de pessoas transgêneros que inclui apoiar um apelo à Casa dos Bispos para considerar a adaptação de materiais litúrgicos para "marcar a transição de gênero de uma pessoa", informou a igreja no domingo [09 de julho].

"Espero que possamos fazer uma declaração poderosa para dizer que acreditamos que as pessoas trans são apreciadas e amadas por Deus, que as criou e está presente através de todas as reviravoltas de suas vidas", afirmou o Rev. Christopher Newlands, na abertura do debate sobre o assunto.


O bispo de Worcester, John Inge,  disse durante a discussão que "nossa resposta precisa ser amorosa, aberta e acolhedora e a aprovação desta moção seria um fator muito importante para disso".

Nick Land da Diocese de York pediu uma emenda à moção para que a Câmara dos Bispos considere as questões teológicas, pastorais e outras em torno da transição de gênero, mas as três casas do Sínodo rejeitaram o pedido, disse um comunicado da imprensa.

O voto da Câmara dos Bispos foi de 30 favoráveis e 2 contras, com duas abstenções. A votação da Câmara dos Clérigos foi de 127 prós, contra 28, e 16 abstenções. O voto da Câmara dos Leigos foi de 127 favoráveis e 48 contrários, com 8 abstenções, comunicou a igreja.

A moção aprovada diz: "Que este Sínodo, reconhecendo a necessidade de pessoas transexuais serem bem-vindas e afirmadas em sua igreja paroquial, exorta a Câmara dos Bispos a considerar se alguns materiais litúrgicos recomendados a nível nacional podem estar preparados para marcar a transição de gênero de uma pessoa."

Um membro conservador do Sínodo, Clive Scowen, disse ao [portal cristão] Christian Today em maio que "está longe de se convencer de que a intervenção cirúrgica ou médica para tentar reatribuir o gênero é uma resposta amorosa. Não penso que as Escrituras apoiem a ideia de que o gênero, que é um fator físico sobre a identidade de uma pessoa pode ser alterado. Em vez disso, acredito que o Espírito Santo pode trazer mudanças sobre como uma pessoa percebe o gênero para se adequar aos fatores biológicos".

Comentário:

Podemos comentar o assunto por duas perspectivas, sendo a psicológica e, portanto, puramente científica, ou pela teológica, que não deixa de envolver ciência, mas diz respeito principalmente à questão ética, moral e filosófica. Nas duas perspectivas a tal "moção" pode ser facilmente encarada como um equívoco, considerando o segmento religioso em questão.

Cientificamente falando, já fizemos várias publicações mostrando que o "transgenderismo" se trata, na verdade, de uma "disforia de gênero" ou "transtorno da identidade de gênero", devendo ter tratado como tal. Não é uma variação da orientação sexual, muito menos da sexualidade humana, mas sim uma condição de conflito psicológico com o sexo de nascimento, provocado por múltiplos fatores associados ao ambiente (família, cultura, relacionamentos, etc.)


A questão teológica


Teologicamente falando, o que vemos é o velho discurso de "aceitação" e "inclusão" sendo utilizado para distorcer a realidade, tanto da doutrina bíblica, a qual a Igreja Anglicana espera seguir, como da vida humana. A Bíblia é clara quanto ao acolhimento de SERES HUMANOS como um todo, independente da sua condição, sexual ou não. Todos são iguais aos olhos de Deus.

Em João 3:16 está escrito que "Deus amou o mundo de tal maneira..." que entregou o seu próprio Filho para sacrifício. Também em João 1:12, está claro que "...a TODOS quantos o receberam" (a Cristo) "foram feitos filhos de Deus". Observe que os termos são abrangentes e não exclusivistas.

Isto significa que Cristo ao convidar para o arrependimento e oferecer o perdão, não fez/faz acepção de pessoas. Seu convite abrange todos os seres humanos: "Vinde a mim, TODOS os que estais cansados..." (Mt 11:28). Em João 11:25-26 está escrito que "TODO aquele que crê" viverá, e assim por diante. Ou seja, o evangelho é um convite de salvação espiritual para todos e justamente porque TODOS precisam dele, uma vez que TODOS são pecadores (Rm 5:12).

Todavia, o mesmo Cristo que não faz acepção de pessoas, condiciona nossa fé nele, e a comunhão (participação efetiva assumindo cargos de liderança, por exemplo) em sua Igreja, ao reconhecimento do propósito de Deus para sua criação e consequentemente ao arrependimento dos nossos pecados, confira em Mt 3:2, Lc 13:3, João 3:3, assim como seus discípulos endossam esse ensinamento, por exemplo em Atos 2:38, 3:19, 26:20, 2 Tm 2:25, etc.

Este ensino, a forma de crer e seguir a Cristo, porém, não é de qualquer jeito, porque implica em transformação de vida. Seguir a Cristo não é como os seres humanos - preferem - ensinar, mas como a própria Bíblia ensina. É o que Jesus deixou claro ao dizer isso:

"Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre". João 7:38. Cristo deixou claro que esta fé precisa estar de acordo com o que "...diz a Escritura" exatamente porque a Escritura (Bíblia) é o que fundamenta a fé nele, visto que ela, a Escritura, é a revelação de Deus que testemunha sobre Cristo, confirmada e personificada nele próprio. Em outras palavras, sem a Bíblia como referência, Cristo pode ser "qualquer coisa".

Mas, felizmente, ao se apresentar como a "Verdade" (João 14:6), Cristo está confirmando sua encarnação como "Logos", o "Verbo" e, portanto, a própria "Palavra" de Deus, motivo pelo qual não é possível afirmar crer em Jesus Cristo e não seguir os ensinamentos bíblicos que o próprio Cristo reconheceu como Verdade.

Isto posto, está claro que a tentativa de adaptar a liturgia do culto cristão para se adequar a uma demanda de caráter ideológico que contraria o ensino bíblico é uma violação fatal da doutrina bíblica, pois se o transgenderismo e o transexualismo contrariam o que Deus revelou através das Escrituras, como seu propósito para o relacionamento amoroso e sexual humano, então não há o que ser "adaptado", mas sim exposto como verdade, e Verdade de Deus.



Fonte: The Blaze
Informações: Church of England
Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima