ALERTA: Transplante de útero para homens transgêneros será possível dentro de 10 anos, afirmam especialistas

Médicos financiados pela ONU disseram que retomaram os estudos para transplante de útero em homens transgêneros, um procedimento que os especialistas dizem ser possível dentro de 10 anos.


Acredita-se que o financiamento médico e os avanços tornarão o procedimento possível dentro de uma década, após operações pioneiras na Universidade de Gotemburgo, onde foi possível fazer com que mulheres recebessem transplantes de útero e gerassem filhos, através de um procedimento semelhante que os médicos pretendem utilizar.

Impulsionados pelo sucesso da equipe sueca, os ativistas exigiram que a Agência Nacional de Saúde (NHS) (do Reino Unido = Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte) tornem o transplante de útero disponíveis para pessoas transgênero nascidas como homens, uma exigência que médicos e especialistas em fertilidade disseram ao Jornal no último domingo que voltaram à considerar.

A consultora ginecologista Dr. Arianna D'Angelo, do NHS's Wales Fertility Institute, disse que seria algo certo do ponto de vista ético.


Ela disse: "Já temos preservação da fertilidade para pessoas transgêneros, para lhes dar a possibilidade de ter seu próprio filho genético. Então eu não vejo muita diferença entre isso, ao realmente gerar seu próprio filho".

A Dra. Françoise Shelfield, professora clínica de obstetrícia e ginecologia do University College London, que tratou pacientes inférteis por 30 anos na NHS, acrescentou seu apoio e apontou as leis de igualdade do Reino Unido:

"Se estamos dizendo que devemos ter igualdade e temos legislação [defendendo os direitos das pessoas transgêneros], não vejo por que não", disse ela.

A diretora da Unidade de Direito e Regulação da Saúde da Universidade de Liverpool, Amel Alghrani, está pressionando para existam conversas sobre se os transplantes de útero para pessoas transgênero devem ser financiados publicamente ou não.

Falando sobre caso no "Journal of Law" e nas "Biosciences" [jornal jurídico e científico], a advogada de ética médica disse que tal movimento "revolucionaria a reprodução" e levaria outros grupos de pessoas que desejam implantes do útero - incluindo homens homossexuais e heterossexuais - à experimentarem as "alegrias" de carregar uma criança.

"Os casais homossexuais também podem procriar desta forma, enquanto os homens solteiros podem optar por evitar essa responsabilidade", disse ela.

O professor do Hospital Universitário de Ghent, Steven Weyers, que está iniciando um programa de transplante de útero envolvendo 20 mulheres no final deste ano, disse acreditar que transplantes para pessoas que nasceram do sexo masculino ocorram em "talvez uma década".

Laura Perrins, uma ativista pró-mulher considerada conservadora, criticou a intenção de transplantes de útero financiados com dinheiro público para pessoas transgêneros, afirmando que "afetará o significado da maternidade e da feminilidade".

"A maioria dos contribuintes não pensará que este é um bom uso dos recursos. Isso levanta questões éticas e morais profundas que terão um impacto nos direitos das mulheres ", acrescentou.

Comentário:

Para quem vem acompanhando nossas matérias sobre ideologia de gênero essa notícia não é novidade alguma. Ela é apenas mais uma prova cabal do que essa trágica ideologia pretende fazer com a concepção de natureza humana. Para começo de conversa, eliminar a noção de "natureza" é o primeiro passo.

Tudo ficará refém do "discurso", da "cultura" e da vontade alheia. Se é assim, não temos motivo algum para estabelecer padrões morais por via da Ética, visto que é com base na concepção de natureza que criamos os fundamentos que norteiam nossa conduta e sustentam a civilização.

Voltemos ao primitivismo e à lei do mais forte! Se a proposta é tornar o "desejo", a "percepção" e a "opinião" absolutos em si mesmos, desconsiderando a natureza da qual surgimos, sobrevivemos e nos mantemos por milhares de anos, qualquer desejo e "autopercepção" devem ser respeitados em nome na "igualdade", mesmo que você se defina como um E.T (veja aqui).

A verdade é que o adoecimento ético do ser humano está patente aos nossos olhos. Perdemos o bom senso e a noção de limites, em todos os aspectos. Não afetamos mais o planeta, "apenas", explorando de forma desnecessária seus recursos em nome do consumo e do poder, passamos também à desconfigurar o próprio ser humano, acreditando que podemos contrariar a organização biológica natural da vida para atender às vaidades, interesses e loucuras do homem moderno.

Neste cenário, não podemos desconsiderar os interesses econômicos por trás dessa loucura. Quanta tecnologia envolvida? Quantos procedimentos, estudos, materiais necessários para tornar essa adaptação possível? Sim, adaptação, porque jamais será uma criação, muito menos natural. Tudo isso significa fortunas de investimento e há muitos poderosos querendo lucrar com tal possibilidade, especialmente se em nome da "igualdade" conseguirem envolver financiamento público.

De um lado, um mar de gente iludida, alienada por uma cultura adoecida que não se sustenta e depende cada vez mais de modismos para se manter "girando". Do outro, uma cúpula de manipuladores que, uma vez interessados em dinheiro, criam as possibilidades para fazer essa mesma cultura girar, e com ela os "modismos".

No meio disso tudo talvez estejamos nós, que não concordamos. Alguns apenas assistem e fazem disso sua fofoca matinal, enquanto outros guerreiam como podem para alertar sobre os perigos dessa - evolução irracional - aos demais, entendendo que afetará e colocará as futuras gerações em um caminho praticamente sem volta. A questão é: de qual lado você está?


Fonte: Breitbart
Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima