MILAGRE: Garoto de três anos cai da varanda quase 100 metros e sobrevive - "Algo aconteceu lá", disse a Médica

MILAGRE: Garoto de três anos cai da varanda quase 100 metros e sobrevive - "Algo aconteceu lá", disse a Médica

Os médicos do Hospital Infantil de San Miguel, Argentina, não encontraram explicações para a rápida recuperação de Martin Chain - um garoto de três anos que caiu do nono andar quando estava brincando na varanda do seu apartamento.


O acidente de 7 de junho deixou o menino à beira da morte. No entanto, ele só levou 20 dias para se recuperar e não mostra sinais de complicações a longo prazo.

"Eu estava trabalhando quando recebi um correio de voz do meu marido Maximo. Ele estava gritando. Ele me disse que Martin tinha caído da varanda", disse a mãe da criança, Florencia Núñez, ao jornal local Clarin.


No dia do acidente, o pai de Martin estava arrumando algo para comer quando o garotinho foi sozinho para a varanda e subiu no parapeito enquanto brincava. Martin então caiu quase 100 metros até atingir o pátio do prédio, no chão.

"Quando ele olhou para fora, Maxi [o pai] viu Piti (Martin) de bruços, deitado sobre um pedaço de terreno úmido em meio a escombros. E ele o viu se mover", disse Núñez.

O pai correu até Martin e levou-o ao Hospital Infantil de Tucumán, onde recebeu cuidados imediatos. Os médicos ficaram atônitos ao ver que o menino estava consciente e chorando, mas sem nenhum osso quebrado.

No entanto, Martin ainda sofria de traumatismo no abdômen e crânio, bem como uma contusão pulmonar que causou problemas respiratórios para ele. Durante semanas ele estava sob coma induzido, conectado a um respirador artificial e tubos de alimentação.

Florencia disse que diante da condição séria de seu filho, "não paramos de rezar e Piti gradualmente começou a melhorar. Um dia, enquanto eu estava cantando para ele uma música para a Virgem, ele finalmente acordou.", disse ela.

A partir desse momento, Martin começou a se recuperar. Ele primeiro foi para os cuidados intermediários, então eles o tiraram do respirador e finalmente foi liberado.

"Ele só tem alguns problemas para caminhar, mas não é nada permanente. Com fisioterapia, ele pode ter uma recuperação de 100 por cento", disse ao Clarin a diretora do hospital, Cristina García de Alabarse.

"Ele terá que continuar com um psicólogo e exames físicos por um tempo, mas não esperamos que tenha grandes problemas a longo prazo. É incrível."

Apesar de ser "uma mulher da ciência", Garcia diz que nunca ouviu "um caso semelhante, é, pelo menos, incomum que uma pessoa possa cair de tal altura e tenha tão poucos efeitos secundários".

"Há momentos que para nós, profissionais, não há mais nada senão nos colocar nas mãos de Deus. Eu sou católica e acredito que existem milagres. Algo aconteceu lá", disse ela.

Comentário:

Segundo a Bíblia, milagres se caracterizam pela total ruptura com a ordem natural das coisas que conhecemos. Isso é o que podemos saber à partir dos relatos de milagres contidos na Bíblia. Nenhum deles podem ser confundidos com algum evento possível, ainda que raro, muito menos com nossa incapacidade de compreensão plena dos fenômenos.

Ou seja, os verdadeiros milagres não se confundem com eventos naturais e ocorrem de forma que não é possível duvidar do seu caráter sobrenatural, porque eles sempre se mostram de forma mais racional do que emocional, ao ponto de até mesmo incrédulos não conseguirem negar a veracidade do acontecimento.

No caso do garoto Martin é difícil afirmar, mas as lesões, especialmente o trauma craniano, evidenciam a queda e sua sobrevivência como um fato possível, embora muito raro. Entretanto, isso não exclui o agir de Deus, livrando o garoto da morte ao possivelmente aliviar sua queda, por exemplo. O fato é que mais importante do que afirmar ter sido ou não um milagre é saber que Deus, de alguma forma, agiu na vida de Martin.



Fonte: CNA
Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima