VÍDEO: Idoso interrompe gravação de cena gay do Boticário aos gritos: "Por isso que vão para o inferno"

Visivelmente revoltado, um idoso interrompeu a gravação de um comercial com cena gay de O Boticário e aos gritos disse que Deus "abomina" a homossexualidade.

O vídeo começou a circular nas redes sociais e logo chamou atenção devido ao caráter polêmico das afirmações do homem, que após interromper a gravação de O Boticário, disse aos gritos que "homem com homem" e "mulher com mulher" são abominações aos olhos de Deus. 


Não foi apenas isso. O senhor que se apresentou com o nome de Jesus ("Esse é o meu nome. Acreditando ou não, o que é que importa?", disse ele), disse estar num "país de merda", afirmando também que estava em um momento de revolta. Acusou os publicitários de também serem responsáveis pela situação do país e afirmou categoricamente que marcas como O Boticário "levam porcarias para dentro de casa".

"Deus abomina... Deus abomina! Não entenderam ainda? Deus abomina", disse Jesus, revoltado após ver a cena do comercial onde, ao que parece, dois homens se beijavam. "Leiam a Bíblia, seus idiotas! Vocês não leem a Bíblia? Por isso que vão para o inferno", afirmou.

"Aqui é o meu direito que vai prevalecer", disse ele, se referindo ao direito de transitar na praça com o seu cachorro, porque a gravação do comercial precisou interromper a passagem. "Eu sou um cidadão. Sou neto/sobrinho de um Presidente da República, e vocês já foram longe demais com as suas propagandas tendenciosas e malditas (...) acordem gente... Vocês estão prestando um péssimo serviço... ", acrescentou.

O vídeo também foi publicado no Youtube. No canal que dispomos abaixo, o proprietário chamou de "ofensas homofóbicas" a fala do idoso, mas diversos internautas manifestaram apoio ao senhor, dizendo que ele foi um verdadeiro herói ao dizer o que pensa.

O idoso com o nome de "Jesus" fez discurso de ódio, como alguns afirmam?


A concepção sobre "discurso de ódio" é inviável do ponto de vista criminal, devido ao seu caráter subjetivo. Alguém sempre interpretará como "ódio" ou "ofensa" alguma opinião que não concorda, por mais radical ou ignorante que possa parecer. Radicalismo e ignorância não é crime, e nem pode ser, visto que é algo intrínseco na vida de cada pessoa e também são classificações subjetivas. 

Ao criminalizar o "discurso de ódio", o que teremos na prática é uma tremenda confusão jurídica e a óbvia tendência dos mais poderosos e influentes da sociedade cercearem o restante da população no seu direito de expressar opiniões divergentes, e repito: por mais radicais e "ignorantes" que possam parecer.

A verdade, no entanto, é que este senhor errou ao chamar de "idiotas" algumas pessoas, visto que esse é um xingamento direto e completamente desnecessário. No mais, ele não errou em nada, mas apenas expressou uma opinião de caráter religioso e político, ainda que de forma exaltada. Lembrando que gritar e se exaltar não é crime, certo? 

Teologicamente, sua afirmação acerca da homossexualidade segundo a Bíblia está correta. Está escrito:  "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é" (Levítico 18:22). Afirmar que vai para o inferno quem não lê e obedece a Bíblia também não está errado, visto que Cristo, em João 14:21, afirma que seus seguidores são os que "obedecem" os seus mandamentos, e no capítulo 3, versículo 18, (assim como em Marcos 16:16) diz que "está condenado" quem não acredita em seu nome como Filho de Deus. Portanto, se ir para o "inferno" é uma consequência de não seguir e obedecer a Cristo, o idoso está certo.

Se isso ofende alguém, em particular os homossexuais, é algo que devem simplesmente ignorar e respeitar o direito de quem acredita na doutrina, visto se tratar de uma religião, a qual todos possuem o direito - constitucional - de não apenas possuir a que bem entender, como também manifestar sua fé, como está escrito:

Art. 5º, parágrafo "VI": "É inviolável a liberdade de consciência e de crença", diz o trecho, cuja manifestação pública da fé se configura pela livre "manifestação do pensamento" e "...expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;" conforme os parágrafos "IV" e "IX".

O restante das afirmações são de caráter político e moral, uma opinião que o senhor possui e tem todo direito de expressar, assim como qualquer outra pessoa tem para discordar. Simples assim.

Assista:


COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima