ALERTA: Versículos da Bíblia que falam contra a homossexualidade e outros pecados podem ser proibidos por serem considerados "ofensivos"


Os diretores de uma escola cristã localizada no sudeste de Edmonton, Alberta [no Canadá], estão preocupados com o fato de partes da Bíblia, especificamente as que lidam com a ética sexual, serem proibidas se forem consideradas como discurso ofensivo de acordo com o código de direitos humanos da província.


Os curadores da Divisão da Escola do Battle River disseram que vários versículos da Bíblia deveriam ser incluídos em um manual para os alunos da Cornerstone Christian Academy, em Kingman, mas agora esses versículos podem ser banidos por potenciais violações, por afetarem as "minorias vulneráveis".

A passagem em 1 Coríntios 6: 9-11, por exemplo, afirma que nem "os sexualmente imorais, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os homens que fazem sexo com os homens, nem os ladrões, nem os gananciosos, nem os bêbados, nem os caluniadores, nem os escravos, herdarão o reino de Deus."


Além de 1 Coríntios, as preocupações também foram levantadas sobre uma passagem semelhante em Gálatas 5, que afirma: "Os atos da carne são óbvios: imoralidade sexual, impureza e devastação, idolatria e feitiçaria, ódio, discórdia, ciúmes, ataques de raiva, Ambição egoísta, dissensões, facções e inveja, embriaguez, orgias e outras coisas. Advirto-te, como antes, de que aqueles que vivem assim não herdarão o reino de Deus".

(...) As autoridades escolares concordaram em não apresentar esses versículos específicos, mas estão preocupados com o fato de que a legislação de direitos humanos de Alberta poderia impedi-los de ensinar toda a Bíblia.

Deanna Margel, presidente da diretoria da Cornerstone Christian Academy Society, revelou que as conversações entre a academia e o conselho estão acontecendo por seis semanas.

Margel acrescentou que os versos em questão fazem parte de uma nota de rodapé das escrituras na declaração de fé atualizada da escola.

"É uma restrição à liberdade de expressão, à liberdade de religião, à liberdade de consciência, é uma violação da nossa liberdade constitucional no Canadá", afirmou Margel.

O Centro de Justiça para Liberdades Constitucionais disse através do seu presidente John Carpay que a escola não permitirá que outros ditem quais partes da Bíblia são apresentadas aos estudantes.

"Quando o conselho começa a tentar ditar que as escrituras que algumas pessoas possam achar ofensivas não podem ser ensinadas na sala de aula, isso é completamente contrário ao objetivo da diversidade, que é ter escolas que são realmente diferentes umas das outras", disse Carpay.

A porta-voz da Divisão Escolar de Battle River, Diane Hutchinson, sugeriu que se um acordo não for alcançado, a escola cristã, que tem cerca de 160 alunos do jardim de infância até o grau 12, poderia cortar os laços com a divisão.

"Nós pedimos que eles não os  incluíssem [os versículos], mas talvez usem uma escritura diferente", disse Hutchinson, de acordo com a Metronews.ca, referindo-se ao verso na passagem de Coríntios.

"Há muito amor na Palavra de Deus. Estávamos preocupados com aquela passagem específica da escritura, dada a legislação de hoje e ambiente sensível".

Ela acrescentou que as mudanças na legislação provincial sobre direitos humanos podem considerar que os versículos da Bíblia são prejudiciais "às minorias vulneráveis".

Comentário:

O caráter autoritário de uma ideologia fica evidente quando para ser imposta é necessário eliminar todas às referências contrárias a ela. Os ideólogos do movimento homossexual, ou da "ideologia de gênero", se preferir, sabem muito bem que o cristianismo é a "religião" que mais acolhe, respeita e protege pessoas discriminadas pela sociedade, incluindo os gays.

Foi o cristianismo ensinado por Jesus Cristo que rompeu com os conceitos religiosos da sua época, que segregaram e marginalizavam diversas pessoas, e é assim até hoje para os que entendem o verdadeiro ensino bíblico, baseado numa mensagem que valoriza o direito ao livre arbítrio, a misericórdia, compreensão, perdão e compaixão pelo próximo face aos seus pecados e consequente necessidade de Deus.

Todavia, a Verdade bíblica para o verdadeiro cristão é - inegociável - e independe de qualquer cultura, visto que é transcultural. Se à luz da Bíblia o comportamento homossexual é pecado, continuará sendo pecado! Porém, isso não muda a maneira como essa "minoria" deve ser tratada pelo cristão. Pelo contrário, apenas reforça a sua necessidade de compaixão e compromisso com o anúncio do evangelho como opção de liberdade em Cristo Jesus.

Essa Verdade na pessoa de Cristo jamais será modificada, pois o próprio Cristo declarou que o que já foi determinado será cumprido em detalhes: "Passarão os céus e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão" (Mateus 24:35).

Portanto, nenhuma cultura religiosa é tão democrática quanto a cultura cristã, visto que seus ensinos se baseiam na responsabilidade pessoal do indivíduo em aceitar ou não a Bíblia como revelação de Deus. É você quem decide seguir os preceitos bíblicos, assim como aprender a respeitar àqueles que os seguem ou não.



Fonte: Christian Post
Comentário: Will R. Filho


COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima