Novo estudo comprova: pessoas ficam mais "burras" na presença do Smartphone

Sua capacidade cognitiva é significativamente reduzida quando seu Smartphone está ao alcance - mesmo que esteja desligado. Essa é a descoberta de um novo estudo da McCombs School of Business da Universidade do Texas


O professor adjunto de McCombs, Adrian Ward e co-autores, realizaram experimentos com quase 800 usuários de smartphones na tentativa de medir, pela primeira vez, quão bem as pessoas podem completar as tarefas quando estão com seus smartphones nas proximidades, mesmo sem utilizá-los.

Em um experimento, os pesquisadores pediram aos participantes do estudo que se sentassem em um computador e fizessem uma série de testes que exigiam concentração total para marcar bem as respostas. Os testes foram orientados para medir a capacidade cognitiva disponível dos participantes - ou seja, a capacidade do cérebro de manter e processar dados em qualquer momento.

Antes de começar, os participantes foram instruídos aleatoriamente para colocar seus smartphones na mesa com a face voltada para baixo, no bolso ou no case pessoal, e também em outra sala. Todos os participantes foram instruídos à colocarem seus telefones em silêncio.


Os pesquisadores descobriram que os participantes com os telefones deixados em outra sala superaram significativamente aqueles com seus telefones na mesa, e eles também superaram ligeiramente os participantes que mantiveram seus telefones em um bolso ou bolsa.

Os achados sugerem que a mera presença de um smartphone reduz a capacidade cognitiva disponível e prejudica o funcionamento cognitivo, mesmo que as pessoas sintam que estão dando toda atenção e foco na tarefa em questão.

"Nós vemos uma tendência linear que sugere que, à medida que o smartphone se torna mais visível, a capacidade cognitiva disponível dos participantes diminui", disse Ward. "Sua mente consciente não está pensando em seu smartphone, mas esse processo - o processo de exigir que você não pense em algo - usa alguns de seus recursos cognitivos limitados. É uma fuga de capacidade [cognitiva]".

Em outro experimento, os pesquisadores analisaram como a dependência de um telefone influencia a capacidade cognitiva de uma pessoa - ou por qual motivo uma pessoa sente que ele ou ela precisa ter um smartphone para superar uma capacidade cognitiva típica do dia-a-dia.

Os participantes realizaram a mesma série de testes baseados em computador que o primeiro grupo, e foram aleatoriamente designados para manter seus smartphones à vista na mesa da frente, para baixo, em bolso ou bolsa ou em outra sala. Nesta experiência, alguns participantes também foram instruídos a desligarem seus telefones.

Os pesquisadores descobriram que os participantes que eram os mais dependentes dos seus smartphones apresentaram um desempenho pior em comparação com os colegas menos dependentes, mas apenas quando eles mantiveram seus smartphones na mesa, no bolso ou bolsa.

Ward e seus colegas também descobriram que não importa se o telefone de uma pessoa estava ligado ou desligado, ou se estava deitado de frente para cima ou de frente para baixo em uma mesa. Ter um telefone à vista ou de fácil acesso reduz a capacidade de uma pessoa se concentrar e executar tarefas, porque parte do seu cérebro está trabalhando ativamente para não pegar ou usar o telefone.

"Não é que os participantes estavam distraídos porque recebiam notificações em seus celulares", disse Ward. "A mera presença de seu smartphone foi suficiente para reduzir sua capacidade cognitiva".


Fonte: Samantha Harris - UT Austin 

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima