ALERTA: Governo aprova lei sobre transgêneros e torna "crime de ódio" opiniões contrárias à ideologia de gênero


O Senado do Canadá aprovou uma lei para direito dos transgêneros movida pelo liberal Justin Trudeau, e sem alteração, na tarde de ontem (15), por 67 votos contra 11, com três abstenções.


O projeto de lei acrescenta "expressão de gênero" e "identidade de gênero" ao Código de Direitos Humanos do Canadá e à seção de crimes de ódio do Código Penal. Com o Senado aprovando o projeto de lei sem alterações, ele requer apenas o consenso real na Câmara dos Comuns para se tornar lei em todo país.

Os críticos advertem que, nos termos do projeto de lei C-16, os canadenses que negam a ideologia de gênero podem ser acusados ​​de crimes de ódio, multados, encarcerados e obrigados a se submeterem a treinamentos para subversão ideológica.


A maioria dessas críticas é do professor de psicologia da Universidade de Toronto, Dr. Jordan Peterson, que junto com o advogado D. Jared Brown, disse ao comitê do Senado que a lei Bill C-16 é uma ameaça sem precedentes para a liberdade de expressão e codifica uma ideologia espúria de identidade de gênero na forma da lei.

Peterson foi convidado para a comissão pelo senador do Manitoba, Don Plett, que votou contra o projeto de lei.

Plett propôs, sem sucesso, a alteração do projeto de lei C-16 para adicionar: "Para maior certeza, nada nesta Lei exige o uso de uma palavra ou expressão específica que corresponda à identidade ou expressão de gênero de qualquer pessoa".

Imediatamente após às notícias de que a lei Bill C-16 foi aprovada, o Twitter entrou em erupção com ataques [mensagens] detestáveis ​​contra Plett.

Os senadores que votaram contra o projeto junto com Plett são David Tkachuk, Yonah Martin, Richard Neufeld, Leo Housakos, Betty Unger, Norman Doyle, Tobias C. Enverga, Thanh Hai Ngo, Lynn Beyak e Denise Batters. Todos eles são conservadores.

Os senadores que se abstiveram são Anne Cools (independente) e Conservatives Larry Smith, e Michael MacDonald.

O primeiro-ministro, Trudeau, elogiou a aprovação do projeto dizendo ser uma "ótima notícia".

Comentário:

Ontem publicamos uma matéria informando que também no Canadá grupos de "direitos humanos" estão tentando proibir o ensino de versículos bíblicos que falam contra a homossexualidade nas escolas cristãs, alegando que eles afetam as "minorias vulneráveis" e são "ofensivos". Caso não tenha percebido, escrevi escolas CRISTÃS!

A lei Bill C-16, para que os amigos(as) brasileiros entendam melhor, equivale ao velho PL122 que os partidos de esquerda, em especial o PSOL e o PT tentaram aprovar aqui no Brasil, mas foi barrado graças aos esforços das bancadas evangélicas e católicas no Congresso, bem como a mobilização da sociedade em geral manifestando-se contrária ao projeto.

No Canadá, como podemos ver claramente, o avanço da ideologia de gênero anda a passos largos e vai criando uma geração prostituída não apenas eticamente, pois desconsidera o conhecimento científico sobre o tema ao ponto de usar uma - ideologia - como objeto de lei, mas também culturalmente.

Foi através de relatos de pesquisadores canadenses, por exemplo, que publicamos também uma matéria denunciando como a pornografia e a "educação sexual" (na verdade, erotização infantil através das escolas) estão destruindo o comportamento sexual de vários jovens. Mas, apesar disso, os Deputados canadenses ignoraram esses relatórios e decidiram não tomar qualquer providência para combater os efeitos negativos da pornografia na vida da sua juventude.

Todos esses casos refletem o estado de decadência moral do Canadá, cuja população, cada vez mais envelhecida, depende das gerações que hoje estão sendo doutrinadas segundo os valores do "multiculturalismo".

Na prática, o Canadá vive hoje um processo de "deslocamento de identidade", transformando jovens em cobaias de ideólogos que não estão nem um pouco interessados em preservar qualquer tradição, muito menos diversidade de pensamento.

Que isto sirva de lição para os brasileiros.

Fonte: Life Site News
Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima