Eleições diretas: A estratégia da esquerda para salvar Lula de Sérgio Moro


Sabe a trupe do #foratemer pedindo "Diretas Já"? Se você acha que esse desejo é fruto da indignação com a corrupção está completamente enganado(a).


Devotos são alienados ideologicamente. Só enxergam o que é do próprio interesse, filtrando e manipulando os fatos conforme suas conveniências.

A intenção é aproveitar o caos político e a indignação dos brasileiros menos informados, para recorrer ao ÚNICO meio de livrar Lula da prisão, que é através de uma possível vitória na eleição e consequente transferência dos processo de Curitiba (Sérgio Moro) para Brasília (STF), devido ao direito a foro privilegiado.


Não se engane! A forma mais segura de manter o Brasil no rumo da Lava Jato é seguindo o rito constitucional. Os que pedem "Diretas Já" agora são os mesmos que pediram em 2016 e, também, em 2013, quando a tentativa foi dar um - verdadeiro - golpe no Brasil através da criação de uma assembleia "constituinte, exclusiva e soberana".

O motivo? Simples: o país ainda possui uma grande massa de manobra, influenciada por veículos de comunicação e organizações sociais financiadas para manipular a opinião pública, especialmente de gente simples, que passou associar o PT e seus aliados às políticas públicas em favor, supostamente, dos pobres.

Obs. Todo regime que visa se perpetuar no poder utiliza medidas populistas, assistencialistas, no início da sua gestão, como forma de cativar e manter uma base eleitoral fiel aos seus interesses. O objetivo não é dar liberdade ao povo, de fato, mas sim torná-lo econômica e psicologicamente dependente.

É exatamente como uma relação amorosa possessiva: no início são flores e carícias, mas no decorrer vira um tormento até que sucumbe à opressão física e psicológica.

A Venezuela é um exemplo perfeito dessa realidade em nosso tempo, motivo pelo qual os partidos de "esquerda" no Brasil, que por diversas vezes manifestaram apoio a Hugo Chaves e Nicolás Maduro, atualmente ficam em silêncio, ignorando a realidade trágica do país ou distorcendo os fatos para não terem que reconhecer a falência da sua ideologia.

A importância de eleições regulares 


Uma eleição regular (2018) permite o debate de forma ampla e mais profunda, discutida, com mais tempo de exposição e confrontos. Além disso, até lá, as investigações da Lava Jato terão avançado e réus como Lula provavelmente serão condenados, ficando inelegíveis para o pleito.

Por outro lado, candidatos como João Dória e Jair Bolsonaro, se também não forem envolvidos em escândalos, ganharão maior notoriedade, podendo diminuir ainda mais as chances de candidatos já desgastados, como Marina Silva e Ciro Gomes.

Esse é o principal motivo do pedido por eleições diretas. Não é indignação. É a estratégia da esquerda para salvar sua única chance de retornar à presidência no Brasil e dar continuidade ao seu projeto de poder.

Por: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, sem qualquer vínculo institucional, oferecendo conteúdo com ênfase em comportamento, política, cultura, ciência e religião, por uma perspectiva cristã, através de comentários exclusivos sobre notícias do Brasil e do mundo.

Anterior
Proxima