Transgênero é um sintoma de colapso cultural, diz especialista em educação

 

No último domingo (13) o Brasil foi condicionado a ver uma reportagem do Fantástico sobre o tema transgêneros, onde a problemática envolvendo a identidade de gênero foi posta como algo de origem biológica e, portanto, de nascença. Um dia após a matéria tendenciosa, tratamos de refutar a afirmação do psiquiatra entrevistado, com o texto "A farsa do Fantástico sobre transgêneros - Uma mentira que você deve saber", que é imprescindível você ler para entender.

Dessa vez, porém, na intenção de continuar contribuindo com o debate oferecendo outra perspectiva daquela posta como "verdade" pelo Fantástico, comentaremos a entrevista da Doutora Camille Paglia, no programa Roda Viva, em 2015,  quando na ocasião ela afirmou que o surgimento de transgêneros é um sintoma de colapso cultural, como segue:

"Em qualquer lugar do mundo você encontra um padrão [cultural] em períodos antigos, que, quando uma cultura começa o seu declínio, você tem um surgimento de fenômenos transgêneros", disse ela, questionando o fato de que a mídia tem tratado o tema como uma espécie de "moda" ou "popularidade", reforçando algo que para ela se trata de um fenômeno estritamente cultural, e não biológico.
 

"Isso é um sintoma do colapso de uma cultura", disse ela. "Então, ao invés de pessoas elogiarem o liberalismo humanitário que permite todas essas possibilidades transgêneros aparecerem, ou serem encorajadas, eu ficaria preocupada", acrescentou.

Note que Camille Paglia é considerada feminista e se autodeclara transgênero. Em outra entrevista ao jornal Folha de São Paulo também em 2015, Paglia reconhece sua identificação quando criança, mas diz que teria sido um engano terrível se tivesse optado pela "mudança de sexo", algo que, na prática, não existe, uma vez que o sexo é geneticamente determinado.

"Estou muito preocupada com essa tendência cirúrgica para mudança do corpo. Isso está por toda parte nos EUA. Dizem que a criança nasceu no corpo errado e já começam com hormônios até chegar à intervenção cirúrgica. Se essa ideia estivesse no ar quando eu era jovem, eu teria cometido um engano terrível", disse Paglia.

A afirmação de Paglia de que o surgimento de transgêneros é um sintoma de colapso cultural, parece encontrar fundamento na obra do teórico jamaicano Stuart Hall, chamada "A Identidade Cultural na Pós-Modernidade", onde o autor afirma estar havendo uma desintegração das culturas em diversas partes do mundo, o que resulta na perca de "identidade" do próprio indivíduo integrante dessas culturas, ocasionando diversos sintomas no âmbito social, político e comportamental.

Outros autores também parecem dar suporte a afirmação de Paglia, todavia, sem fazer menção aos transgêneros como um sintoma desse "colapso cultural", o que não é estranho, visto se tratar de um tema moderno e pouco difundido academicamente.

Finalmente, é importante frisar que Paglia não se refere a pessoas, mas a uma ideologia. Ao se referir a "transgêneros" ela, assim como essa matéria, trata do conceito acadêmico, ético e filosófico do tema, tecendo críticas a uma cultura que está sendo construída não com a finalidade de compreender, de fato, a questão transgêneros, mas sim para reforçar ainda mais o seu surgimento sem medir as possíveis consequências. Abaixo, confira a entrevista:



COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima