Você está apaixonado ou emocionalmente dependente?


Algumas diferenças entre paixão e dependência emocional

Quantas vezes você pensou que estava realmente apaixonada, para depois se dar conta que não sente mais aquele amor poucos meses depois? Ou; já acreditou que estava apaixonado, mas invés disso descobriu que estava "emocionalmente dependente"?
 

Quando estamos emocionalmente dependentes


    Você está inventando a pessoa que acredita estar apaixonada?

    Descobriu através de relacionamentos passados ​​que tende a idealizar pessoas?

    Você está focado(a) principalmente em como seu parceiro(a) trata você, invés de quem ele ou ela realmente é?

    Está muito impressionado(a) com a forma como essa pessoa faz você se sentir especial?

    Você faz do seu parceiro o grande responsável por sua felicidade, valor e segurança?

    Se sente ansioso(a) ou em pânico quando não está com seu parceiro, ou quando ele ou ela não telefonam na hora que você espera?

    Você tem uma lista de expectativas que seu parceiro tem que cumprir para você se sentir amado(a) e seguro(a)?

    Sente que não pode viver sem essa pessoa?

    Sente um "vazio" e solidão, menos quando seu parceiro esteja com você, dando-lhe atenção e a aprovação que você não está dando a si mesmo?

    Você sente ciúme possessivo do seu parceiro?

    Tenta controlar seu parceiro para que ele ou ela sempre faça o que você deseja?



    "Amor" que vem do medo não é amor - é necessidade.
    A dependência emocional vem do vazio interior que é criado quando você se abandona - e então você espera que seu parceiro preencha esse vazio e faça você se sentir amado e seguro.
     
    Depois de fazer o seu parceiro responsável por sua felicidade, segurança e valor, então você precisa tentar ter o controle sobre ele ou ela para te amar da maneira que você quer ser amado(a).
     

    Quando estamos apaixonados

     
    Não há nada controlando a força desse sentimento. A paixão é o que sustenta o seu próprio bem estar e o de seu parceiro, o que significa que você não precisa tentar controlar ou possuir a outra pessoa.
     
    A paixão é sobre dar e compartilhar - não sobre controlar. A paixão não é carente.

    Quando você ama alguém, valoriza profundamente suas qualidades essenciais, as qualidades que não desaparecem com o tempo. Não é sobre às qualidades mais superficiais e aparentes, como dinheiro e poder, mas sobre as qualidades mais profundas e duradouras do coração, do caráter.
     
    O desafio de uma paixão verdadeira é que você não pode desejar obter o amor e amar ao mesmo tempo. Seu foco em obter amor sempre levará a um coração dedicado a controlar o comportamento do outro, o que exclui o amor.  

    Seu foco em ser amoroso(a), e em aprender o que é amar a si mesmo(a) e seu parceiro em um determinado momento é o que incentiva a paixão.
     
    Se você não ama a si mesmo(a) - sua própria essência maravilhosa - então você não pode ver ou amar a essência do outro. Quando você não vê e valoriza a si mesmo, se torna emocionalmente dependente em seu desejo de obter amor.
     
    Porém, quando você ama a si mesmo(a), será muito menos vulnerável a alguém interessado apenas na sua atenção e aprovação.  

    Quando você se dá a atenção e a aprovação de que precisa, então é muito mais fácil discernir quando alguém está tentando apenas se aproveitar ou quando estão genuinamente cuidando do que você é em sua essência.
     
    A chave para se apaixonar e permanecer amando é primeiro aprender a amar a si mesmo!

    Por: Margaret Paul 

    COMPARTILHAR

    Edição:

    Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

    Anterior
    Proxima