Temer repete erro de Dilma ao nomear Moreira Franco, citado na Lava Jato

Citado na Lava Jato, Moreira Franco é nomeado por Michel Temer

Michel Temer decidiu criar dois novos ministérios, sendo um deles a Secretaria-Geral da Presidência – dentro do Palácio do Planalto, e para assumir o cargo de Ministro nomeou um dos seus principais conselheiros e aliados, Moreira Franco, citado na operação Lava Jato, dando a ele o benefício do foro privilegiado. Coincidência ou não, na mesma semana a Presidente do STF, Cármen Lúcia, homologou 77 delações premiadas da Odebrecht, material que servirá como prova para acusar e condenar possíveis citados nos esquemas de corrupção da Petrobras.

Temer repete o erro de Dilma em 2016 ao tentar nomear o ex-presidente Lula, alvo de investigações também da Lava Jato, para assumir às pressas o ministério da Casa Civil, o que desencadeou imediatamente uma série de críticas e acusações de desvio de finalidade, devido a iminência de ter seu pedido de prisão decretado. 


Moreira Franco já foi citado nada menos do que 34 vezes na delação de Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, e sua nomeação para o novo Ministério pode ser um dos grandes equívocos da gestão Temer já no início de 2017, caso o novo Ministro seja denunciado e vire réu no Supremo.

Se Temer repete o erro de Dilma sem levar em consideração os riscos futuros, talvez é porque existe algo na balança que pesa ainda mais contra ele, afinal, qual o interesse de nomear alguém alvo de investigações que pode cair a qualquer momento? Cumplicidade? Difícil não imaginar, uma vez que o próprio Presidente também já foi citado 43 vezes pelo mesmo delator.

Tanto Moreira Franco quanto Michel Temer negam as acusações da delação e/ou declaram desconhecer os fatos.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima