35 pessoas são presas por "práticas homossexuais" no Paquistão - Comentário

 Homossexuais são presos no Paquistão

A polícia da moral da Arábia Saudita deteve 35 paquistaneses acusados de práticas homossexuais durante uma festa realizada em uma sala de eventos no sul da capital Riad, informou o jornal saudita "Sabq" em seu site.


Segundo o porta-voz da polícia de Riad, Fuaz bin Jamil al Maiman, que foi citado pela publicação, "um grupo de cidadãos paquistaneses estava realizando uma festa para homossexuais em uma das salas de eventos do sul da capital", quando os agentes entraram no recinto

O porta-voz da polícia da Arábia Saudita acrescentou que vários participantes estavam maquiados e vestidos como mulheres.

O jornal mostrou em seu site várias fotos dos detidos.

Na Arábia Saudita, onde rege uma interpretação rigorosa da lei islâmica, a homossexualidade é punida com penas de prisão e castigos corporais, como chicotadas, e inclusive com a morte.

Comentário:

A homossexualidade é considerada crime em diversos países onde o islamismo é a religião oficial, podendo resultar até em pena de morte. No entanto, pouco se vê nas mídias internacionais o repúdio a tal concepção. Isso, porque, a chamada "luta por direitos" da comunidade LGBT não pertence à população LGBT, de fato, mas sim a interesses de engenheiros culturais que utilizam pautas vinculadas a grupos de "minorias" para implantar sua agenda política. Para saber  mais, leia:


Diferente do islamismo, o cristianismo é a religião que mais acolhe homossexuais, muito embora a Teologia Cristã considere a homossexualidade um pecado contra Deus. Todavia, é o cristianismo, e não o islamismo, a religião mais atacada no mundo, acusada de fomentar "ódio" e "preconceito" contra a população LGBT.

Essa população precisa discernir o que é fruto das suas verdadeiras necessidades, para o que é resultado do ativismo político de grupos. Isso não é só uma estão de honestidade intelectual, mas de sobrevivência!


Com informações: Agência EFE

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima