4 Dicas de como tratar os filhos para melhorar a saúde familiar


Como identificar nos filhos a saúde familliar da família

Filhos em muitas ocasiões são o termômetro da saúde familiar. Eles refletem no comportamento e no sentimento o que se passa dentro de casa, de modo que nem sempre os pais identificam nos filhos o adoecimento emocional que é próprio da maneira como eles (os pais) vivem. Isto posto, recomendo aos pais que atentem para as seguintes sugestões:

01 - Nunca despreze as queixas dos seus filhos. ESCUTE com atenção e VALORIZE sua fala, procurando extrair deles o conteúdo dos seus sentimentos, que muitas vezes não é explícito;

02 - Se o seu filho já passou da fase de esconder a frustração, a ira, o choro, a angústia e, principalmente, o desejo de coisas ruins, acredite; ele está gritando para ser ouvido e de alguma forma isto significa que você ainda não foi capaz de lhe dar segurança emocional acerca do que está sendo um conflito para ele;


03 - Nem sempre a queixa do filho significa um problema vinculado à família, ou seus hábitos, etc., muito embora represente a maioria dos casos. Em outras palavras, nem sempre a família deve mudar sua dinâmica em função do conflito dos filhos, DESDE que seja capaz de acolher sua demanda emocional e lhe oferecer uma perspectiva de vida aceitável que lhe conforte e dê segurança. Se isso não for possível, mudar a dinâmica familiar pode ser uma necessidade vital para a saúde do filho;

04 - Se o propósito de um casal é constituir família, vale a pena refletir sobre as circunstâncias que impedem a felicidade dos filhos. Nem sempre o ideal dos pais significa o melhor para a educação e saúde mental/espiritual dos filhos. É comum, por isso, que muitos filhos sejam "sacrificados" em função de um propósito que, no final, atende apenas uma necessidade idealizada pelos pais, mas que não representa a realidade vivenciada pelos filhos em dado momento;

Finalmente, observe seus filhos e tenha neles um parâmetro de como anda a saúde da sua família. Isso não é uma regra, mas constitui a maioria dos casos. Reflita sobre sua capacidade de acolher as demandas dos seus filhos e, se necessário, considere mudar a dinâmica familiar, pois, a final, se constituir família é/foi o teu objetivo, é por eles que você deve viver.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima