Pedófilos que usaram bíblia em defesa foram condenados a prisão perpétua




Timothy e Esten Ciboro, pai e filho, foram acusados de estuprar uma adolescente durante um período de três anos e mantê-la presa em um porão. Durante a defesa no tribunal de Ohio, nos Estados Unidos, os pedófilos usaram a bíblia para tentar se defender, citando passagens distorcidas do livro cristão. A garota abusada é a enteada de Timothy, que conseguiu escapar após os dois a deixarem sozinha no cativeiro.

Durante a audiência, os rimãos Ciboro  alegaram que não confiavam nas leis humanas e pediu para ter acesso a uma bíblia. Esten Ciboro disse a juíza do caso que a bíblia é "o único livro de leis que realmente importa".

"Profissionais construíram o Titanic. Amadores construíram a arca"

Timothy Ciboro disseram que ele e seu filho pretendiam "usar a santa palavra de Deus para fazer perguntas, perguntas que acreditamos serem absolutamente vitais para o nosso caso", segundo publicação do jornal The Washington Post. Ainda de acordo com o jornal, Timothy, que enfrenta mais duas acusações de estupro, também é acusado de agressão sexual ao irmão mais novo da menina durante o mesmo período.


A juíza do caso permitiu que os dois tivessem acesso a bíblia, mas não deixou que eles ou a defesa utilizassem o livro para interrogar as testemunhas, nem reconheceu suas citações como válidas, especialmente porque eles distorceram trechos do livro a seu favor. Ainda assim, os irmãos preferiram utilizar a bíblia como defesa, alegando que confiavam mais na fé do que nos advogados; "Profissionais construíram o Titanic. Amadores construíram a arca ", teria dito Esten a juíza Linda Jennings.


Finalmente, os dois foram condenados a prisão perpétua.


COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima