Para Jesus Cristo - Não Somos Diferentes de Hitler e Madre Tereza


Jesus Cristo nos faz perceber algo muito interessante: que não somos diferentes de assassinos, roubadores, corruptos, adúlteros, mentirosos, viciados, etc. Pessoas que aos olhos de muitos são "abomináveis e terríveis". Assim como não somos diferentes de pessoas consideradas "puras e santas". Todavia, essa IGUALDADE e unidade está no sentido da condição espiritual pecaminosa, a qual para Deus é a MESMA. Como está escrito: 


Pois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado; Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.

Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus.
Todos se extraviaram, e juntamente SE FIZERAM INÚTEIS. Não há quem faça o bem, não há nem um só. (Romanos 3:9-12)

Paulo no texto aos romanos se refere a condição espiritual de pecado e não meramente a gestos isolados de bondade ou injustiça. Neste sentido, por mais que você faça ou julgue alguém fazendo ações bondosas, a condição espiritual sua ou da outra pessoa continua sendo de pecado. Ele está tratando de um contexto muito maior do que simples ações humanas que se consideradas separadamente podem ser interpretadas como boas ou más. Ele trata da condição espiritual da RAÇA HUMANA como um todo. Daí o motivo pelo qual está escrito na carta aos Efésios, capítulo 2, versículo 8 e 9, assim:

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie;
Efésios 2:8,9
Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie;
Efésios 2:8,9
Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie;
Efésios 2:8,9
Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie;
Efésios 2:8,9
Cristo nos separa de uma vida em pecado, mas não da condição humana de PECADOR. Seremos libertos dessa condição apenas quando formos para "um novo céu, uma nova terra", como cumprimento da promessa da ressurreição em corpo transformado (1 Coríntios 15).

Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção.
1 Coríntios 15:42
A santificação e justificação em Cristo é quanto às obras da lei. Ora justificados por Cristo, somos santificados (separados) por Ele para uma vida em santidade, isto é; que "...não vive pecando" por obediência aos seus mandamentos (1 João 3:6). É justamente o reconhecimento dessa condição de pecador que nos leva a Cristo, pois ao saber que somos pecaminosos, percebemos o quanto somos carentes da Graça, e Graça imerecida. 

O Apóstolo Paulo se dizia afligido por um "espinho na carne" (2 Coríntios 12:7-9), exatamente como referência a sua condição humana pecaminosa. Cristo, portanto, produz em nós o reconhecimento do pecado como condição de IGUALDADE a todos os demais pecadores. Não somos pessoas melhores em NADA, apenas Cristo é o que existe de bom em nós, justamente porque Ele é quem nos faz perceber que espiritualmente, sem Ele, estamos todos na mesma condição. 

É por saber que não temos mérito algum e, portanto, diferença alguma em relação a outras pessoas, que ser um Adolf Hitler (exemplo de maldade) ou Madre Tereza (exemplo de bondade) não faz diferença a luz do sacrifício de Cristo na cruz, uma vez que o Amor e Graça de Deus são oferecidos a todos, sem distinção (João 3:16), pois assim como Deus não faz acepção de pessoas, também não faz acepção de pecados. Em outras palavras, quanto mais reconhecemos o "assassino, mentiroso, adúltero, ladrão" que existe em nós, mais dependemos de Cristo, mais procuramos a santificação e mais enxergamos "o outro" como alguém tão carente, dependente de Cristo e, portanto, SEMELHANTE a nós. 

A bondade de muitas pessoas que julgamos "puras" e "santas" só existe porque elas mesmas reconheceram Cristo como Senhor, do qual dependem espiritualmente, fazendo dEle o grande modelo de santidade e perfeição a ser seguido. Se existe algum mérito nisso, não é da pessoa, mas exclusivamente de Cristo. 

A maldade, por outro lado, existe em TODOS NÓS. O que diferencia um genocida populacional como Hitler de quem recebe troco errado no supermercado é a consequência do ato, os quais julgamos conforme o impacto imediato produzido, se mais ou menos grave a luz do que consideramos certo ou errado e principalmente do que isso acarreta fisicamente. Espiritualmente, no entanto, ambos são igualmente pecadores.

Por fim, esse texto foi escrito com base na seguinte afirmação:

"O grande mistério do homem não é o fato de a mesma raça humana ter a capacidade de produzir tanto um Hitler como uma Madre Teresa, mas o fato de cada pessoa conter, dentro de si, um Hitler e uma Madre Teresa". (Dr. Louis Markos )

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima