Sem Ordem não há Progresso - "Chega de inversão de valores"


O estudo intitulado Perils of Perception (Perigos da Percepção) do instituto britânico Lpsos Mori, realizou uma pesquisa feita com 33 nações entre os dias 1 e 16 de outubro de 2015, ficando o Brasil com a medalha de bronze ao atingir o terceiro lugar no ranking dos países mais ignorantes sobre si mesmos do mundo. 


Como cidadão brasileiro mesmo que envergonhado, vejo que esta pesquisa possui sim uma certa credibilidade e que em dados demonstrou que a percepção de conhecimentos da nossa população é muito baixa, característica que nos torna uma sociedade desinformada, ignorante e facilmente enganada pela classe dominante. Visualizo também dois fatos que provavelmente fazem parte das causas que nos colocam nesta posição do ranking. Primeiramente destaco a péssima qualidade da educação publica hoje oferecida, que está objetivada apenas em atingir dados e não educar, aperfeiçoar e formar pessoas, exemplo disso é o Projeto “Progressão Continuada” do Estado de São Paulo, que conseguiu sim atingir um bom percentual referente ao número populacional formado ou em estudo, mas que infelizmente consegue formar no Ensino Médio pessoas que não sabem ao menos efetuar pequenos cálculos, ler e escrever corretamente. Em segunda instância destaco os meios de comunicação e informação deste país que são praticamente todos de posse de uma classe dominante, onde todo proprietário cobra de seus jornalistas, a edição de toda e qualquer notícia em prol de seu favorecimento próprio ou como método de denegrir seus rivais e para completar a mídia que não possui lá sua ligação com os membros dessa classe dominante, também vem a distorcer suas publicações em busca da tão sonhada audiência, usando quase que 100% da grade de programação com programas de “baixo calão”, que não nos oferecem nada que seja útil e passível de absorção de algum conhecimento.

Sendo assim estamos sendo dominados por uma classe chamada “políticos em exercício”, que usam de todas as formas para inibir a aquisição de conhecimento da população deste país, que sendo uma das mais ignorantes do mundo, nunca saberá através dos nossos processos eleitorais ditos como “democráticos” eleger bons administradores públicos, muito menos participar de uma administração em busca do progresso. Temos sim eleições bem fiscalizadas pela justiça, utilizamos de urnas eletrônicas dificilmente fraudáveis, todos nós cidadãos temos o direito de votar, mas isso não faz nossas eleições serem democráticas, pois se nossa classe dominante chamada “políticos em exercício” vem sendo a mesma desde 1988 e nada de melhorias tem nos oferecido, isso é sinal de que na verdade somos enganados e estamos sim fortemente dominados. 

Estes políticos nos dominaram sim, há anos estão nos enganando e tomando tudo aquilo que nosso deveria ser, mas devido as disputas dentro do poder público de quem roubava, desviava recursos ou buscava mais privilégios, os mesmos acabaram que perdendo a ordem entre eles. E o que antes era disfarçado e até invisível, chegou aos olhos e ouvidos da sociedade brasileira, que mesmo sendo ignorante saiu à luta em protesto a esta realidade. Pena que em alguns casos integrantes da nossa sociedade, incentivados por políticos agiram também sem o uso da ordem, saindo pelas ruas quebrando há tudo o que é nosso e já não é dos melhores ou até mesmo levantando bandeiras favoráveis a esta atual desordem.

Então sociedade brasileira é hora de manter a ordem e a paciência, buscar conhecimentos, analisar caso a caso das pretensões de voto e tentar eleger novos rumos dentro da nossa democracia, objetivados em buscar à ordem deste país, adquirir direitos e também deveres. Eleger alguém que nos ofereça segurança, educação e saúde, mas que nos desligue destes atuais dominadores e que no futuro tendo nós usufruídos de uma educação de qualidade não sejamos mais passíveis de ser enganados.

Temos hoje muitas leis, que nos oferecem muitas regras, muitos artigos, muitos parágrafos, mas com muito, muito pouca Justiça, o excesso de palavras confunde, contradiz-se e, ao fim, abre brechas à impunidade e a privilégios injustos, sendo assim além da “Lava Jato” temos que fazer é um “limpa” dentro dos nossos poderes, para que estes possam também fazer uma limpeza em nossas leis, criadas cada uma delas, para beneficiar a classe de seu próprio autor e não há uma sociedade em si. Chega de inversão de valores, de classes, de cotas, de assistencialismo, de direitos humanos que nos fazem dependentes de eleger novamente os mesmos representantes, nós cidadãos brasileiros queremos apenas aprender e ter condições de conquistar aquilo que almejamos, poder usar do que é nosso da melhor forma, queremos direitos cumpridos, mas também queremos cumprir a nossos deveres, para que nunca mais possamos perder a ordem, pois SEM ORDEM NÃO HÁ PROGRESSO. Agora se não conseguirmos nos livrar destes dominantes nas próximas eleições, Poder Militar nos ajudem, pois, nossa democracia não está funcionando.

Autor: Anderson Gimenes
Grifos: Opinião Crítica 

Anderson Gimenes é Agente Penitenciário, autor do livro "Diário de um Agente de Segurança Penitenciária", publicado pela editora Multifoco. Para saber mais e adquirir o livro, basta clicar na imagem abaixo ou AQUI

Livro "Diário de um Agente de Segurança Penitenciária"
Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima