As Crianças Retardadas - Um Recorte sobre Doença Mental e Cultura



"Para curar o corpo humano é necessário ter-se um conhecimento das coisas como um todo."  (Hipócrates)


Ao examinar Eddie, o médico calculou que ele teria aproximadamente um ano. Na realidade, chegava aos quatro. Outro menino, Steve, quase aos doze anos era de estatura menor do que a da maioria das crianças com metade da sua idade. Os médicos do Hospital Johns Hopkins acompanharam treze desses casos de jovens que apresentavam estatura muito abaixo do normal e eram profundamente imaturos quanto à fala e comportamento. Em algum ponto de suas vidas o desenvolvimento global - tanto físico quanto emocional - havia sofrido uma atrofia.


Qual seria a explicação? Os médicos comprovaram a inexistência de problemas alimentares; e as crianças não tinham herdado igualmente qualquer perturbação física. Contudo, essas crianças tinham sido emocionalmente prejudicadas: todas provinham de lares desfeitos. Foram negligenciadas por seus pais. As mães mostravam tendência à instabilidade (uma delas era alcoólatra e psicótica). Outra, ao referir-se ao filho, dizia:

__Eu o odeio!

Ao serem colocadas em ambiente acolhedor e protetor, as crianças imediatamente passavam a desenvolver-se. Em menos de um ano Steve cresceu mais de quinze centímetros, e engordou quase 20 quilos. Cada uma dessas crianças, ao ser colocada num lar adotivo ou mesmo num orfanato, continuava a progredir. Mas as que retornaram aos seus próprios lares pararam de crescer e perderam peso.

Recorte do livro: Fenômenos Psicossomáticos

Opinião Crítica: 

Casos como os exemplificados acima são mais comuns do que você pode imaginar. Infelizmente, o desprezo para com a relação "mente-corpo" é uma deficiência ainda grosseira na prática de muitos profissionais de saúde. Lado a isso, os fatores culturais que tem modificado com velocidade e radicalidade muitos costumes da vida social, somam ao desencadeamento e manutenção de muitos transtornos de ordem comportamental, cuja compreensão só é possível através de um olhar "holístico" do sujeito.

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima