Mulher Tetraplégica após Acidente Supera Trauma e faz Ensaio Sensual


Uma moradora de Botucatu (SP) de 34 anos deu uma lição de superação após quase morrer em um acidente e ficar tetraplégica há 19 anos. “Fui tachada como vegetal, depois falaram que mexeria nada e não desisti, não podia ficar em uma cama para o resto da vida”, conta Letícia Mulford Costa, que posou para um blog de deficientes com um ensaio sensual e chamou muita atenção. “Mulher é mulher de qualquer forma e pode ser sensual.”

Letícia com o marido e filho (Foto: Letícia Costa / Arquivo Pessoal)
Letícia com o marido e filho
(Foto: Letícia Costa / Arquivo Pessoal)
A gerente de relacionamento de uma agência bancária se acidentou quando tinha 15 anos e ficou tetraplégica. Ela chegou a ficar em coma por 19 dias. “Não mexia nada, só os olhos, comia por sonda, respirava por aparelhos por um ano. A evolução foi bem devagar. Fiquei revoltada, minha família sofreu muito e eu não queria mais viver”, lembra.
Com apoio de fisioterapia e da família, Letícia começou a voltar a viver.  “Tive depressão, não queria ver ninguém e um dia estava chorando e pensei: Meu Deus, quando é que você vai me fazer andar? Mas então percebi que tem um monte de gente que anda e não é feliz. E que não preciso disso, ter auto piedade não resolve”, afirma.

Superação
 
Letícia decidiu fazer faculdade de matemática, mas antes disso, no cursinho pré-vestibular conheceu o grande amor da sua vida. “Ele se apaixonou por mim assim e sempre me tratou normal. Como faço tudo, as pessoas até esquecem que sou tetraplégica. O duro é depender dos outros, então quando você é independente é mais fácil, não me impede de viver”. Hoje ela é casada com Gustavo Costa e tem um filho de 1,3 anos, o Luca.

A jovem já era exemplo como esposa, profissional, mãe, mas agora, depois de posar para as fotos sensuais, passou a ser exemplo de superação como mulher. “Tem muita gente que passa por coisas menores e vê que eu tenho uma vida normal. Pessoas que me veem dando a volta por cima é muito gratificante ser o exemplo.”
Para a fotógrafa Carina Galvão, que faz fotos todos os dias de várias pessoas, fotografar Letícia foi muito simples. “Não é diferente porque eu arrumo todas as pessoas e com ela não tem tempo ruim. O que eu proponho fazer, ela consegue. Ela fica linda do mesmo jeito. Cada um tem seu limite, a dificuldade é de cada um, independente de ser cadeirante”, afirma.

Fonte: G1 

Comentário Opinião Crítica:

A sensualidade vai muito além do estereótipo e das limitações físicas. Salvo motivos particulares, a iniciativa de Letícia nos dá o exemplo necessário para que possamos enxergar a relação entre "desejo e corpo" como algo elaborado psicosocialmente. 

A maior conquista de Letícia, de fato, não está na ruptura com o socialmente estabelecido, àquilo que é vigente nos moldes da cultura, mas na ruptura consigo mesma, ao encontrar no seu "espelho" pessoal a imagem perfeita suficiente do que é antes de tudo sensual para si, e não para o mundo!

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima