As Pessoas Não são Más, Elas só estão Perdidas!


O título acima retirei de uma postagem feita no Facebook, sob o nome de Tainã Ribeiro. Ele se referia a um vídeo que até o momento contava 1.518.059 visualizações. Vi alguns contatos compartilharem o vídeo dizendo frases como "Chorei! Emocionalmente... O mundo ainda não tá 100℅ perdido". Ao ver o vídeo pude constatar que realmente é difícil assistir cenas de solidariedade tão significativas e não ficar emocionado. Mas, na verdade, o que me fez escrever esse post foi uma pergunta que me veio a mente no final do vídeo: ___É verdade que o mundo está ficando cada vez mais insensível? Antes de continuar, peço que veja o vídeo clicando AQUI: Volto em seguida.

Espere... Você viu o vídeo? Por favor, veja. Depois continue a leitura!

Ok, voltei

Lembrei das palavras de Jesus Cristo ao dizer que nos últimos dias "...o amor de muitos se esfriará". Ele fala isso logo após dizer que "...por se multiplicar a iniquidade". Está no livro de Mateus, capítulo 24 versículo 12. Essa afirmação não poderia ser mais precisa. De fato, o mundo está cada vez mais insensível. Escrevi recentemente um texto que em parte elucida um pouco a razão disso, caso tenha o interesse de ler, o texto é "A morte das Utopias e o Reinado da Solidão Compartilhada"

Cenas como as do vídeo tem o poder de comover ALGUMAS PESSOAS profundamente, porque estamos tão rodeados de eventos trágicos que já perdemos a referência das boas coisas. A violência virou show de comédia, com a absurda diferença de que na antiguidade, nas arenas romanas e gregas onde humanos se digladiavam e presos eram devorados vivos por ursos e leões, a sociedade vivia conforme o nível de compreensão da época. Aquela violência não serve para nós como referência de "agressividade" ou modelo cultural, tendo em vista que a escravidão, por exemplo, era aceita como "normal" e algumas etnias de povos nem eram consideradas como de "pessoas" (dai a concepção de "bárbaros"). Na sociedade atual o conhecimento que adquirimos depõe contra nós. Não bastaram os exemplos de culturas passadas, cuja violência era mero fruto das ignorâncias. O que dizer então, quando homens tidos atualmente por "ícones da sabedoria", como Aristóteles, via as mulheres como algo não muito diferente de uma ÉGUA? Para ele a mulher não passava do rascunho de um homem! Mais próximo a nós, Nietzsche também via as mulheres como nada tão diferente do que “...gatas, aves, ou quando muito, vacas. Qual é então a referência de sabedoria que temos dos nossos antigos, para servir de comparação com a normatização da violência atual, quando até mesmo os grandes filósofos detinham conceitos tão distorcidos sobre os semelhantes?

Mais uma vez repito: na sociedade atual o conhecimento que adquirimos depõe contra nós. O que deveria ser meio de "evolução humana", este conhecimento meramente utilitário, nos serve mais para convivermos de forma igualmente utilitária. O que escapa disso são atitudes como essas que vemos no vídeo. Gestos que partem do verdadeiro SER HUMANO. Daquilo que apesar de parecer cada vez mais distante e/ou desconfigurado em nós, ainda existe por NATUREZA. A humanidade, potencialidade para PERCEBER, SENTIR e PENSAR acerca do que experimentamos. Poder a partir disso construir SIGNIFICADOS. A humanidade ainda reside nessas capacidades, que quando bem desenvolvidas e orientadas para o que é bom a todos, resulta no que chamamos de CIVILIZAÇÃO. 

Por fim, que a capacidade de se emocionar e chorar perante gestos de carinho, amor e solidariedade, continue presente em muitos de nós, porque é desse SER-SENSÍVEL que parte o que realmente somos: SERES CRIADOS PARA AMAR! Se cada um de nós tivermos um pouco disso, cenas como essas do vídeo serão rotinas e já não ficaremos tão surpresos quando elas aparecerem diante de nós, e então o que nos chocará e fará derramar lágrimas não será mais os atos simples de... humanidade, mas sim tudo o que contraria ela. A indiferença, egoísmo, avareza, luxúria, amargura, rancor, ódio, soberba, mortes, alienação, intrigas, desespero, guerras, a fome, a solidão...  Se um dia a humanidade evoluir como humanidade até chegar nesse ponto, veremos o amor como shows na TV, e não humanos transformados em zumbis!

Com lágrimas...

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima