O Efeito de Palavras que Não Interessam!



Vou escrever aqui palavras que não lhe interessam, afinal, elas não carregam fórmulas, receitas de como obter sucesso na vida profissional, amorosa ou espiritual. Tais palavras são meros reflexos de um pensamento qualquer. Não trazem fofocas, resultados de futebol ou dietas de emagrecimento, são apenas reflexões comercialmente não inseridas na chamada "cultura popular". Por qual motivo se interessar por algo quando há opções de bundas, jogos e carnavais chamando sua atenção na internet? Retire-se, recomendo, pois esse texto não fará bem ao seu conforto mental!
-----------------------------------------------------------------------------------------------------
Acorde, escove os dentes, tome um café e prossiga. Leia um jornal e encontre nele as mesmas matérias de mil anos atrás. Faça parte de uma engrenagem cujo significado se resume em fazer de você uma peça útil aos interesses de quem orienta o modo de pensar e agir das massas. Essa parece ser a única opção de bilhões nesse exato momento. Trabalhadores, estudantes, pessoas cujas identidades estão sendo desintegradas em nome do quê? Pergunto a mim mesmo. Quero pensar que não sei, mas o que vejo não me deixa negar a constatação de que vivemos numa geração ironicamente cada vez mais estúpida, apesar de toda evolução tecnológica, traduzida pela idealização de uma cultura idiotizante, onde "lepo lepo", quadradinho de oito, silicone e novelas são as grandes referências. A mesma indignação de quem lê a criminalidade no jornal não é suficiente para fazer frente à miséria de quem fura fila em um corredor de ônibus. Antes do vômito matinal contra a corrupção política, nossa hipocrisia aparece em cada gesto de "esperteza" que visa dar um jeitinho em nossa vida. Parabéns, você é um excelente fruto -- inerte -- ao meio!

Corra para seu horóscopo, quem sabe ao Padre, Pastor ou Guru, que falarão em nome de um deus pintado por suas conveniências. Jamais confronte sua realidade baseada no que a natureza lhe demonstra facilmente; talvez uma revelação explicada em registro pelo Criador num livro chamado bíblia.  Ao invés disso crie fórmulas, regras, alternativas de buscar preencher um vazio lacaniano aparentemente inexplicável. Chame isso de religião, ideologia política, filosofia, encontro de bar, cultura alternativa ou mesmo bomba atômica! Dê curso a falta de curso que lhe governa, assim, talvez, a multiplicidade de significados -- sem definição --, algo que talvez prefiras enquadrar numa expressão da diversidade, te fará encontrar na ausência de identidade a justificativa para ser uma constante metamorfose ambulante!

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima