Confronto e Possibilidades na Construção do Eu!


É difícil lidar com as verdades que confrontam nosso modo de pensar e agir. Tendemos a não querer desafiar o nosso próprio conceito de vida. Uma vez estabelecidos, construídos sob uma plataforma qualquer, somos condicionados a entender tal situação como sendo a melhor para nossas vidas, muito embora o melhor esteja diante de nós. Mas por quê? 

Ora, tudo o que desejamos é segurança e estabilidade emocional. Qualquer sensação de insegurança e instabilidade emocional nos causa desconforto. Nesse sentido, até mesmo o que não nos faz bem, pode ser, em certo momento, algo aparentemente melhor do que a verdadeira felicidade. Os que não se percebem assim provavelmente aprenderam que viver é, também, significar a vida. Entenderam que a responsabilidade de fazer valer a vida que possuem é uma exclusividade sua, e por isso não tem medo de serem confrontados, uma vez que a evolução do seu entendimento está justamente na possibilidade de reagir aos estímulos decorrentes do meio. Outros, por outro lado, não reagem, simplesmente respondem. São meras consequências do meio que lhes determinam. Não definem para si possibilidades, senão a maneira que são capazes de responder ao que já está proposto.

Sem exercer qualquer juízo sobre os valores da vida, afinal, quem somos? Para muitos, ser é apenas uma barra de queijo, copo de cerveja ou pizza aos domingos. Quem sabe ainda a performance sexual, profissional ou títulos de um jogo. Isso não é fazer juízo, mas ser a resposta que outros esperam de nós, geralmente frutos de interesses comerciais. Ser moldura nas paredes do tempo esperando algo que nos interprete, pode ser mais fácil do que ser o próprio intérprete. O segundo caso exige de nós a capacidade de interferir no mundo, uma vez que ao mudar os próprios conceitos, modificamos também os elementos que nos definem, isso diz respeito também ao outro. O fato é que sua personalidade, tudo aquilo que acreditas ser VOCÊ pode, na realidade, não ser, e as frustrações, ansiedades, angústias, serem apenas o grito de socorro do verdadeiro EU tentando emergir por entre as máscaras de uma imagem social comercial e vaidosamente construída.

Finalmente, somos criados, sim, para SER, e não para estar, o que implica em viver em constante confrontação, reagindo ao que nos é proposto pelo meio, imprimindo perante ele nossas respostas segundo o que acreditamos ser bom.  Os que compreendem isso melhoram sempre, se aperfeiçoam, aprendem com os erros, também se gloriam com os acertos. Mas quem não entende, faz a leitura de um texto como esse e logo descarta da mente, como um panfleto jogado ao vento, simplesmente um estímulo que não lhe surte efeito algum, pois sua mente já foi condicionada à não enxergar as possibilidades.

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima
Anônimo
10 de junho de 2014 10:15

Texto excelente. Que bom poder ler e viver o escrito exposto. Parabéns!!!

Resposta
avatar
11 de junho de 2014 08:43

Agradeço sua leitura e opinião. Abraço!

Resposta
avatar