Caio Silva - Uma Morte Patrocinada pela Política? A Prova!

Caio Silva de Souza -  A ponta do iceberg!

Em 2013, durante as grandes manifestações a favor do Passe Livre, escrevi um texto intitulado "A Verdade Por Trás das Manifestações no Brasil - 06 Possibilidades", onde especulei o que poderiam ser alguns motivos para os protestos que tomaram conta do Brasil. Dentre as possibilidades apontadas, estava a ideia de que partidos políticos de esquerda estavam incitando essas manifestações, influenciando a população através de "bandeiras" comuns, para que posteriormente viesse à tona questões polêmicas de interesse partidário. Destaco abaixo um trecho do texto onde argumento isso:

"...podemos dizer que os mentores desse movimento são orquestrados por ideologia política partidária. Neste caso, a divulgação de que não possuem filiação com partido algum seria apenas uma estratégia inicial para unir a população. Uma vez que suas conquistas iniciais fossem gradualmente sendo implementadas, poderiam (poderão) inclinar-se para o partido A, B ou C, no sentido de aproximar esse público aos seus interesses. Nessa fase já não seria o MPL a “cabeça” dos protestos, mas sim os “mentores políticos” que estariam representando seus partidos."

Nesse mesmo texto, com base na visibilidade de algumas bandeiras durante as manifestações, mencionei diretamente, dentre as possibilidades, alguns partidos como sendo os grandes responsáveis == por trás == do "vandalismo" nos protestos. Veja o trecho abaixo:

"As manifestações foram dês do início estratégia de partidos políticos de esquerda radicais, tais como o PSTU, PCB e PCO, que utilizaram através do Movimento Passe Livre causas comuns à população como forma de conquistar seu apoio e fazer uma mobilização nacional frente ao “domínio” do PT."  

Pois bem, o que vemos hoje com o caso Caio Silva de Souza e a morte do cinegrafista da Band, parece ser a comprovação do que especulamos no início dos protestos em 2013: de que muitos jovens estão sendo aliciados, sorrateiramente, por representantes de partidos políticos, utilizando temas comuns (consensual)  à população, tais como transportes, saúde, educação, porém, para fazerem protestos com o objetivo de instaurar um clima de desordem, caos e insegurança nas principais cidades  do Brasil, desestabilizando assim os governos perante a sociedade. 

Por qual motivo? 

Ora, no Brasil atual, após a ascensão do PT como partido de esquerda governando o país por até então 12 anos consecutivos, houve uma grande adesão popular ao esquerdismo. No entanto,  as alianças políticas do PT com a direita (visando a sustentação e ampliação da base governista) lhe obrigaram a ceder parte do ideal esquerdista, causando revolta e decepção em muitos dos seus apoiadores "de carreira". Os protestos violentos contra símbolos do poder econômico, bem como dos ideais capitalistas, são exatamente a parcela radical esquerdista insatisfeita com a administração "prostituída" do PT. Na prática, esses atos de protestos, é o PT na sua origem, porém, crescido, massificado e personalizado por outras bandeiras, tais como o PSOL, PSTU, PCO e PSB. Partidos que antes não possuíam tamanha expressão popular, mas que agora, devido, justamente, a composição da base petista, ganharam número e ferramentas políticas mais eficazes para a expansão dos seus ideais.

As características de violência presente nesses protestos são típicas do pensamento esquerdista -- primitivo -- para tomada (ou imposição) de poder, por isso estão presentes em praticamente todas as manifestações onde esses partidos estão presentes. Em resumo, são formas de fazer valer seus interesses, mas não mediante o processo democrático, nas urnas, mas pela força da intimidação, ameaça e desordem.

O que Caio Silva de Souza representa?

Esse jovem "coitado", visivelmente atordoado pelas consequências certamente inimagináveis de um rojão, infeliz por tê-lo acendido no local errado, na hora errada, de forma errada, representa uma parcela de brasileiros, a grande maioria jovens, insatisfeitos com as condições da sua sociedade/cultura, porém, confusos! 

A ânsia por uma ideologia, característica marcante dessa geração, sujeita o indivíduo a qualquer coisa que lhe pareça um ideal capaz de atender seus interesses. 

É nesse momento que os crimes podem não parecer crimes, uma vez que no entendimento desses "a causa é o que justifica o ato", mesmo que isso represente risco de morte, destruição e violência. Na prática, a essência de tal "conceito" não difere em nada do que dá "razão" ao terrorismo, facismo, nazismo, fanatismo religioso, etc. 

Se por um lado esses jovens agressores (para eles; militantes de uma causa política!) são criminosos, o que diremos dos que estão por trás deles, incentivando e financiando suas ações? Também criminosos de periculosidade ainda maior. É isso o que Caio Silva juntamente com seu Advogado está revelando, ao confirmar que, assim como ele, muitos desses "manifestantes" estão recebendo quantias em dinheiro patrocinadas por partidos políticos. Se isso for devidamente comprovado, revelando uma ação organizada cujo o objetivo seja protestar desestabilizando a ordem social, estaremos lidando com um possível caso de terrorismo no Brasil. Assim não apenas Caio precisa ser responsabilizado, mas toda a organização criminosa.

Obs. Toda manifestação é legítima, desde que respeitando o processo democrático, assim como a legislação do país. Qualquer outra insatisfação que vá além disso deve ser manifesta primeiramente no embate ideológico e posteriormente nas urnas. Essa é a principal função da democracia, garantir que mudanças sejam sempre possíveis, porém, mediante o diálogo e o consenso, jamais pelos métodos da violência, seja ela moral ou física. Não podemos aceitar que uma reivindicação por direitos ocorra violando direitos. A destruição do patrimônio público e privado, bem como o enfrentamento policial decorrente disso, nada tem a ver com reivindicação de direitos ou protesto pacífico, mas sim com anarquia, desordem e terrorismo.

Deixe o seu comentário abaixo.

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima