Ativistas Gays e Feministas Agridem Cristãos na Argentina!


Atente para a notícia e vídeo abaixo, volto logo em seguida:

"Um grupo de ativistas gays, feministas e defensores pró-aborto, agrediram fisicamente membros de uma igreja na Argentina. Eles chegaram a vandalizar o templo com pichações que acusavam os cristãos de impor seus princípios à sociedade e impedir a liberação do aborto.

Os fiéis da igreja fizeram uma corrente em torno do templo para evitar mais danos, e passaram a orar enquanto eram agredidos com palavrões, cusparadas e pichações em seus rostos e roupas.

O vídeo repercutiu internacionalmente (Você viu na TV brasileira?) e diversos veículos destacaram a intolerância das feministas, que praticavam atentados ao pudor de diversas maneiras. As imagens fortes mostram as manifestantes com os seios de fora, trocando carícias e até, praticando sexo oral na rua, enquanto gritavam palavras de ordem contra a fé cristã e a favor do aborto.

Além da violência contra os fiéis, as manifestantes queimaram símbolos religiosos e imagens do papa Francisco."


Opinião Crítica:

Recentemente aqui no Brasil denunciamos a "Marcha das Vadias", que é o mesmo movimento da Argentina. Se você não viu os absurdos silenciados pela mídia partidária no Brasil, acesse: "Vadias" e GLBTT na JMJ Chocam o Público - ENTENDA!

Como os amigos podem ver no vídeo, de modo explícito, a conduta dessas pessoas que militam por "direitos" é deplorável! Eles querem minar a liberdade do contraditório ser contraditório. Querem impor uma tolerância intolerante. Uma igualdade discriminatória. Uma diversidade polarizada. É uma completa contradição, não só nessas palavras, mas na prática, na filosofia de vida que essas pessoas professam. Não possuem nenhuma autoridade para reivindicar respeito, tolerância, diversidade ou mesmo aceitação, uma vez que eles mesmos são intolerantes, desrespeitosos e excludentes.

Quero pensar que esses grupos não representam homossexuais, feministas e ideólogos "sensatos", pois não vejo nesses radicais qualquer sinal de equilíbrio, senão plena ignorância e deficiência de senso crítico.

Para eles, no entanto, isso é ser inteligente, ao seguirem os ensinamentos da "Teoria Queer" e a desconstrução cultural do feminismo radical, cuja máxima consiste em devolver ao social, a cultura que se pretende mudar, tudo àquilo que acreditam terem recebido os que se sentem oprimidos, excluídos, etc. Na prática, e de forma resumida, se por séculos a Igreja Católica queimou "bruxas", por exemplo, então eles também queimarão, ainda que metaforicamente, os cristãos católicos atuais. Acreditam que fazendo assim conseguirão despertar um senso crítico na população, ao perceberem que, assim como é inadmissível tal atitude com cristãos, também é inadmissível essa atitude com qualquer outro grupo social. Evidente que há restrições, talvez queimem apenas imagens e no máximo cuspam no rosto, rasguem as roupas, pichem e blasfemem, a essência é a mesma! 

 O fato é que tal teoria é insustentável em si mesma, uma vez que por sua "lógica" (qual?), o grupo oprimido que decidir utilizar a mesma filosofia, criará um ciclo interminável de retaliações. BEM VINDO AO CAOS!

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima