Pedofilia Seguindo a Homossexualidade? Orientação Sexual é o Argumento!


A pedofilia é definida na nova edição do DSM-V, como “uma orientação sexual ou preferência sexual desprovido de consumação, enquanto o ‘distúrbio pedófilo’ é definido como uma compulsão e usado para caracterizar os indivíduos que usam assim a sua sexualidade”. O referencial são crianças com menos de 13 anos de idade.

...associações defensoras da pedofilia, como a B4U-ACT, aprovaram a medida. Paul Christiano, porta-voz do grupo afirma que ficará mais fácil distinguir quem sente atração sexual e quem comete a violência (configurando crime).  Christiano, que é formado em psiquiatria, defende a “autonomia sexual” das crianças, e acredita que “mais educação sexual nas escolas iria ajudá-los a compreender melhor seus limites”.

No início deste ano, um Tribunal Federal da Holanda aprovou a existência da Associação Martijn, defensora do sexo consensual entre crianças e adultos. O veredito oficial reconhece que o trabalho da associação é “contrário à ordem pública, mas não há uma ameaça de desintegração da sociedade”. Com informações Charisma News e Women of Grace.

Opinião Crítica:

Colocando em termos claros, a nova resolução significa que:

01 - Atração sexual por crianças é uma orientação e/ou preferência sexual e, seguindo a mesma "lógica" da homossexualidade, considerada "natural"; 

02 - Atração ou preferência sexual por crianças que leva a um ato compulsivo sexual, ou seja, violentando, estuprando, molestando física ou psicologicamente uma criança, de modo que não tenha "controle" (compulsão) sobre esse desejo, é uma doença!

Portanto o que temos aqui, na prática, é uma resolução que faz separação entre aqueles que sentem desejo sexual por crianças, dos que sentindo esse mesmo desejo, são levados a consumar o ato sexual de modo compulsivo. O que isso significa? Ora, pode não parecer à primeira vista (porque a intenção é essa!), mas isso significa que se uma criança decidir, supostamente por vontade "própria",  ter relações sexuais com quem a deseja sexualmente, isso SERÁ NORMAL, consequentemente também deixará de ser um crime,  uma vez que esse indivíduo não estaria lhe obrigando a manter relações com ele, entendeu? 

Por esse motivo e de modo estratégico, os mesmos que lutaram para alterar a resolução sobre Pedofilia na DSM-V, agora lutam para dar as crianças, politicamente falando, o "direito a total autonomia sobre suas preferências e PRÁTICAS sexuais", sem que haja qualquer interferência dos pais, ou responsáveis, sobre suas escolhas e manifestações. O principal argumento, como já escrevi aqui no blog, é o de que a sexualidade infantil deve ser explorada (eroticamente falando) com naturalidade dês da tenra idade. Falam isso baseando-se especialmente nos dados deturpados do famoso pedófilo e sexualmente confuso Alfred Kinsey, considerado o "pai da sexologia".  

Aqui está a chave da questão: considerando o desejo sexual por crianças uma orientação sexual, natural do ser humano, assim como a erotização e manifestação sexual infantil um direito da criança, fica aberto o caminho para a exploração sexual infantil, onde o "único" limite desse para o crime, é aquilo que NÃO SERÁ considerado uma violação de LIBERDADE. Para que isso não ocorra, bastará garantir por via do -- condicionamento --, que a criança não manifeste -- publicamente -- qualquer insatisfação ou sofrimento devido aos estupros, e então o Pedófilo estará com sua "liberdade" garantida!  Ora, o que já fazem coagindo, ameaçando, intimidando as vítimas para que não falem sobre as experiências traumáticas, agora poderão fazer acobertados pela ciência e política? EXATAMENTE!

Já escrevi em diversos textos aqui no blog, alertando quanto a "lógica" conceitual da "identidade de gênero" ser a mesma para quem deseja ter relações sexuais com crianças, animais, cadáveres, bonecos e tantas outras possibilidades. Por isso não vejo com surpresa essa nova resolução, uma vez que a decisão é IDEOLÓGICA e não científica. Apenas pessoas desonestas e tendenciosas intelectualmente não podem perceber esses fatos de modo trágico para as relações humanas.

Assim como é considerado atualmente (por alguns ideólogos) a homossexualidade uma "Identidade de Gênero" natural, como sendo mais uma forma de expressão da sexualidade humana, a Pedofilia também JÁ ESTÁ SENDO. O próximo passo agora será criar, e divulgar, um novo nome para esse desejo, que não será mais "pedofilia", mas algo que irá soar com naturalidade aos nossos ouvidos. Em ambos os casos, assim como em muitos outros possíveis, tais como a Zoofilia (bestialismo), a lógica conceitual é a mesma e, portanto, "justificável" do ponto de vista IDEOLÓGICO, como será também político (a politicagem dos falsos "defensores dos direitos humanos") muito em breve no Brasil.


Lamento profundamente ter que comprovar diariamente os alertas que diversos profissionais das ciências comportamentais veem fazendo com relação ao tema Identidade de Gênero. Estes que são muitas vezes taxados por uma mídia "comprada" e manipulada de "preconceituosos", "homofóbicos" (pedofóficos, zoofóbicos agora?), fundamentalistas, relegados ao ostracismo, privados de voz e investimentos para pesquisas e manifestação livre do pensamento sem a intimidação política que tem tomado conta dos Conselhos e entidades -- mal -- representativas pelo mundo.

Espero que o bom senso, talvez, desperte uma análise crítica desses que se dizem "defensores" da razão, dos direitos individuais, do bem estar social, antes (tomara fosse possível) que cheguemos ao verdadeiro caos humano.

Se concorda com a opinião expressa nesse texto, COMPARTILHE em suas redes sociais. Faça a sua parte!


Abraço e até a próxima...

Com informações de: GospelPrime

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima