Vítima do Tubarão, Bruna Gobbi foi Alertada Pelos Bombeiros



Após ter publicado aqui no Opinião Crítica o texto "Ataque de Tubarão - Os Verdadeiros Motivos que Levaram a Morte de Bruna" (para ler clique AQUI), ressaltando alguns fatores que foram determinantes para o a taque, em seguida o grupo de Bombeiros que fez o resgate da jovem deu entrevista ao TV Jornal confirmando os argumentos do texto. Veja abaixo a matéria:

A equipe do Corpo de Bombeiros (CB) que prestou socorro à turista paulista atacada por um tubarão na praia de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, diz ter avisado ao grupo sobre os riscos de tomar banho de mar na área. O acidente aconteceu nessa segunda-feira (22) e resultou na morte de Bruna da Silva Gobbi. A vítima tomava banho de mar junto com uma prima quando elas foram arrastadas pela correnteza. Um tio de Bruna declarou que a família irá processar o Estado.

Segundo os quatro bombeiros que estavam na praia, as vítimas teriam ouvido o alerta e deixado o mar, mas retornaram à água logo depois. Os bombeiros Rafael Farias e Abraão Tenório foram os que perceberam o afogamento. Márcio Siqueira e Anderson Figueiredo estavam no jetsky e alcançaram as meninas. Para espantar o animal, Rafael e Abraão utilizaram um equipamento chamado Sharkshield, que produz um campo eletromagnético. Anderson, que pulou na água para estabilizar Bruna, relata que no momento do socorro a garota já estava desacordada.


Apesar dos relatos dos bombeiros, um tio da estudante disse, na manhã desta terça-feira (23),que a família irá processar o Estado. De acordo com o comerciante Davi Leonardo Alves, as placas de sinalização estavam a mais de 100 metros de onde o grupo estava e os bombeiros teriam alertado apenas sobre a possibilidade de correnteza. Já o procurador geral do Estado, Tiago Norões, disse que o Governo lamenta a morte da jovem e nega qualquer omissão do Estado no papel de orientar a possibilidade de ataques.


Nesta terça, um dia após o acidente, poucas pessoas arriscaram entrar no mar perto da área onde aconteceu o ataque. A cerca de 30 metros de onde o acidente aconteceu está uma placa de alerta sobre os ataques. No total, há 44 placas ao longo da orla de Olinda ao Cabo de Santo Agostinho. Para o Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes de Tubarão (Cemit), a morte de Bruna reforça a estatística de que a imprudência dos jovens favorece os ataques. Segundo o órgão, a única medida eficaz para contornar o problema é a conscientização das pessoas.


Jovens com idades entre 18 e 25 anos são as maiores vítimas dos ataques em Pernambuco. No Estado, ocorreram 59 ataques de tubarão nos últimos 21 anos. Desses, 23 acabaram em morte. Bruna foi a 24ª e a primeira mulher. A maioria dos ataques ocorrem em dias de lua cheia e maré alta, exatamente como nessa segunda-feira.


O corpo de Bruna será sepultado na manhã desta quarta-feira (24), no Cemitério de Escada, na Zona da Mata do estado.

Fonte: TV Jornal

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima