Manifestações, a "Cura Gay" e um "Q" de Ironia - Comentário!


Mais ignorante do que quem não tem acesso a instrução, é àquele que dispondo de toda informação, nada conceitua.

As manifestações inicialmente reivindicavam que houvesse nova prioridade no gasto das verbas publicas em serviços básicos, ao invés de obras de maquiagem e ufanismo governista, e logo evoluiu para a exigência de maior moralização do agente público. Mas o que era bom começa a descambar para o "baguncismo".


Agora misturam-se às manifestações pleitos em favor da maconha, a "marcha das vadias", sindicatos que sugam muito dinheiro do trabalhador e ainda mais de verbas governistas sem ninguém que os fiscalize, o MST... além de um verdadeiro caça as bruxas aos religiosos.


Pra início de conversa, é burrice entender que as manifestações permitirão que cada um tenha sua própria constituição, ou seja, adentrar em assuntos tão diversos e divergentes só causa divisão e distração.


Também atesta ignorância que uma minoria de ateus, abaixo de 5% da população tentem impor suas crenças sobre 95% da população que professa alguma religião, sendo 90% só de Cristãos (católicos e protestantes). Estado laico não significa hostilizar as religiões, ou cassar o direito que os mesmos tem de terem representatividade política. Ao contrário, um Estado verdadeiramente laico permite que todas as religiões se expressem em liberdade.


Por último, e o mais polêmico dos assuntos, qual a razão de tanta indignação em permitir que pessoas que desejam acompanhamento psicológico para lidar com a própria homossexualidade, até mesmo para suplanta-la, se for o caso, possam fazê-lo? Existe uma reação, uma "indignação" tão desproporcional aos fatos, que mais parece que a comissão aprovou uma resolução que torna obrigatório os homossexuais se tratarem com psicólogos, foi assim?


Um cidadão que fantasie, se excite, e sinta prazer em sexo forçado (estupro), deve suplantar seus desejos ou se entregar a eles? E um cidadão que fantasie, se excite, e sinta prazer em sexo com crianças (pedofilia), com animais (zoofilia), ou com cadáveres (necrofilia), deve suplantar seus desejos ou se entregar a eles?

Quem dera todos procurassem auxilio psicológico contra o que consideram em si próprios ser perversão.

Por último, um marido pode procurar auxilio psicológico caso esteja sendo dominado por desejos de traição, embora ame a esposa. Se ele tiver pensando em trair com outra mulher, o psicólogo ou terapeuta pode auxiliar o casal, mas se o marido quiser trair a mulher com um homem, neste caso se o psicólogo ajudar pode ter seu registro cassado. "Mas se o marido quiser trair a esposa com um homem, ele é gay, tem mais que se separar!" É? Acaso a bisexualidade foi extinta?

Sei que muitos utilizam-se apenas das novelas da Globo como referência cultural, na formalização de conceitos, mas o ser humano e a vida são incrivelmente mais complexos do que podem supor.

"Mas o Félix..." Faça-me o favor!

Pessoas orgulhosas costumam ter a si mesmo por parâmetro, e por isso são tão incompatíveis com a democracia plena.


Por: Thiago Marques

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima