A Verdade Por Trás das Manifestações no Brasil - 06 Possibilidades!




Quero tratar de forma cautelosa as manifestações que tem ocorrido pelo Brasil nas últimas semanas. Levar você a uma reflexão livre de preconceitos sobre estes protestos que vem sendo motivo de alegria para uns, desespero para outros. Afinal, o que significam essas manifestações?  Será que estamos diante de uma “Primavera Brasileira”?

Durante esse tempo evitei fazer comentários enfáticos, quer nas redes sociais como aqui no Opinião Crítica. O motivo é simples: entendimento! Até esse momento, nem mesmo grandes analistas e cientistas políticos estão compreendendo exatamente as manifestações em todo Brasil, que apesar de terem iniciado com a bandeira das tarifas dos transportes, tomou rumos bem mais amplos e para alguns parece ter perdido o controle.

Venho observando, tentando ler e me inteirar ao máximo de opiniões diferentes sobre estes protestos, e mesmo assim com dificuldade, pois para minha surpresa os críticos, assim como muitos ficaram também fazendo apenas especulações, nada conclusivos. Por esse motivo é que talvez esse texto seja igualmente apenas mais uma especulação. No entanto, peço muita atenção do amigo(a) leitor(a), pois as cogitações que venho lhes trazer são de extrema importância, uma vez que uma coisa é certa: ESTAMOS DIANTE DE UM GRANDE DESDOBRAMENTO POLÍTICO! Segue abaixo algumas possibilidades:
 
1º Possibilidade

As manifestações seriam nada mais do que a insatisfação da população, que agora se uniu em prol de causas comuns, tais como Saúde, Educação, Segurança e Política. Teve início com o Movimento Passe Livre, protestando contra as tarifas dos transportes, conquistando, porém, outros movimentos e o povo em geral, estendendo sua pauta de reivindicações de manifestações a nível nacional.

2º Possibilidade

As manifestações foram iniciadas pelo Movimento Passe Livre reivindicando melhores condições e preços mais acessíveis para o transporte público. No entanto, esse não seria o objetivo principal do movimento, mas apenas um meio necessário para ganhar apoio da população no fim de incluir reivindicações maiores, estendendo de modo organizado os protestos por todo o Brasil.

3º Possibilidade

Se os objetivos do Movimento Passe Livre foram dês do início ampliar a pauta de reivindicações, conquistando o apoio da população através de temas comuns, podemos dizer que os mentores desse movimento são orquestrados por ideologia política partidária. Neste caso, a divulgação de que não possuem filiação com partido algum seria apenas uma estratégia inicial para unir a população. Uma vez que suas conquistas iniciais fossem gradualmente sendo implementadas, poderiam (poderão) inclinar-se para o partido A, B ou C, no sentido de aproximar esse público aos seus interesses. Nessa fase já não seria o MPL a “cabeça” dos protestos, mas sim os “mentores políticos” que estariam representando seus partidos. Vale ressaltar que o MPL é apartidário, mas seus membros, não!

4º Possibilidade

Fazer parecer que é, embora não seja! Já pensou você sair às ruas para defender até então, temas que concorda, tais como investimentos na saúde, educação, segurança (e quem não concordaria?), mas no meio das multidões após um tempo (suficiente para envolver emotivamente) surgirem bandeiras e temas que você não necessariamente aprovasse, tais como a PEC 35, 37, PL122/06, PDC 234/11, Estatuto do Nascituro, Casamento Gay, Divisão de Terras, Estatização e outros? O que dizer então se a essa altura a mídia (que “não é” nada aproveitadora) fizesse a divulgação dizendo que tais manifestações fossem em defesa de todos, ou alguns desses temas? Você, embora não concordando, estaria servindo de número, isto é: massa de manobra! No fim de pressionar as decisões do governo em tais questões, a favor ou contra! Aos olhos da mídia não é você que esta nas ruas, mas sim a "multidão", entende?

5º Possibilidade

As manifestações seriam realmente apartidárias, sem qualquer intenção de promover partidos. Uma integração autêntica da população insatisfeita com a corrupção e deficiência nos serviços públicos. Seria como alguns dizem: “O gigante acordando!” por pura conscientização popular. No entanto, no decorrer do processo, como em quaisquer grandes multidões, grupos isolados distorceram os ideais do movimento, não apenas com vandalismos como também associando a partidos e temas políticos.

6º Possibilidade

As manifestações foram dês do início estratégia de partidos políticos de esquerda radicais, tais como o PSTU, PCB e PCO, que utilizaram através do Movimento Passe Livre causas comuns à população como forma de conquistar seu apoio e fazer uma mobilização nacional frente ao “domínio” do PT. O principal motivo seria o afastamento do PT dos ideais revolucionários, o alinhamento com os partidos de Direita e o desprezo da população em detrimento das grandes empresas e capital privado. Se esta possibilidade estiver certa, o surgimento dessas bandeiras (assim como a do PT) entre as manifestações seria, talvez, falha na comunicação entre a organização e seus militantes.  

Opinião Crítica:

A falta de uma organização centralizada e pautas de reivindicações bem definidas, bem como promoção a partidos políticos, não nos permite afirmar nenhuma das possibilidades de modo definitivo, mas apenas especular. Simpatizo com a terceira, quarta e quinta possibilidades. Acredito que existe, sim, uma motivação política partidária, no sentido de aproximar a população à ideologia de partidos e organizações não governamentais. Porém, imagino que não é o momento para que apareçam bandeiras políticas, mas apenas militantes incitados cada qual por seu partido, utilizando de um discurso apartidário, no entanto, com agendas partidárias.

Penso também que as manifestações não são para protestar contra o PT, mas sim APERFEIÇOÁ-LO, e esta seria a principal "bandeira política oculta" mantida pelos mentores responsáveis pela organização das manifestações, ou seja, a grande VERDADE! Existe uma insatisfação que se alastra na base aliada de esquerda desse partido, acusando-o de ter se “prostituído” para os grandes empresários, a mídia burguesa e o “conservadorismo”. Ora, evidente que a corrupção no “coração” do partido, incluindo seu maior propagandista, Luiz Inácio Lula da Silva, não precisa ser mencionada, certo? Se tal interpretação estiver correta, entendo que existem dois desdobramentos possíveis em curso nesse exato momento:

a)    O PT encabeçado por Dilma-Lula sofrerá um desgaste ainda maior. Pessoas que já não estavam se agradando desse governo, ficarão ainda mais convictas e responderão nas eleições de 2014 votando em outras legendas, o que deverá favorecer o crescimento da extrema-esquerda (PSTU, PCB, PCO). Se essa for a intenção dos militantes por trás dessas manifestações, seus objetivos podem estar sendo alcançados agora;

b)    O PT também encabeçado por Dilma-Lula-lá... fará uma reforma em sua estrutura de governo, pessoas e ideologia, atendendo a pauta dos manifestantes (o que parece já estar ocorrendo e provavelmente incluirá temas polêmicos), criando uma aproximação dos mesmos com os ideais de esquerda, no sentido de mostrar que têm condições de governar em favor do povo, apesar dos erros. Nesse sentido, estaríamos diante de uma possível “reciclagem” do PT, incitada pelos próprios aliados radicais, utilizando-se do povo como massa de manobra para desestabilizar a estrutura do governo, no fim de forçar a sua reaproximação da classe popular e trabalhadora. Se essa interpretação estiver correta, temos aí uma possível explicação para a não utilização de bandeiras partidárias, uma vez que o objetivo continua sendo manter o PT no poder.

No mais, deixo para os amigos interpretarem por si mesmos cada possibilidade que lancei aqui. Eu como já mencionei, apesar de continuar analisando, me inclino para algumas possibilidades associadas ao comentário final. Quanto ao uso de violência, vandalismo, se é ou não grupos isolados, etc, comendo em outra postagem. Façamos nossa parte.

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima